Yoko Ono afirma que Lennon também tinha desejo sexual por homens

Ao site The Daily Beast, ela disse ter certeza de que Brian Epstein, empresário dos Beatles e homossexual assumido, chegou a flertar com ele

Yoko Ono falou sobre a sexualidade de John Lennon e disse acreditar que o ícone da música tinha desejo por homens também.

John Lennon e Yoko Ono na capa do disco
John Lennon e Yoko Ono na capa do disco

Ao site The Daily Beast, ela ainda disse ter certeza de que Brian Epstein, empresário dos Beatles e homossexual assumido, chegou a flertar com Lennon.

As declarações da artista vieram após ela ser questionada sobre uma declaração de Lennon, na qual ele dizia que sua relação com Epstein era “quase um caso de amor, mas nunca consumado”.

“A história que eu ouvi era bem explícita, e por causa disso acho que eles nunca fizeram sexo”, afirmou. “Tenho certeza de que Brian Epstein investiu, mas Lennon simplesmente não queria isso, acho. Acho que ele tinha um desejo [de transar com homens], mas era muito inibido”.

Ono então acrescentou: “No começo do ano em que ele foi morto, ele me disse ‘eu poderia ter feito, mas não consigo porque nunca encontrei alguém que fosse tão atraente’. Tanto John quanto eu valorizávamos muito a atratividade, a beleza”.

A bissexualidade também era tratada como natural entre o casal, contou a artista. “John e eu tivemos uma grande conversa sobre isso, dizendo que, basicamente, todos nós devemos ser bissexuais, mas achamos que não por causa da sociedade. Então estamos escondendo esse outro lado de nós, que é menos aceitável. Mas eu não tenho um desejo sexual forte em relação a outras mulheres”.

Assassino

John Lennon, que teria completado 75 anos na última sexta-feira (9), foi assassinado em 1980 por Mark David Chapman. E apesar de ele ainda estar na prisão, Yoko Ono o teme. “Penso que se ele fez uma vez, ele poderia fazer de novo. Poderia ser eu, poderia ser Sean, poderia ser qualquer um, por isso a preocupação”.

“Eu disse que ele é louco, mas provavelmente não”, continuou. “Provavelmente ele tinha um propósito a alcançar, como ‘matar John Lennon’. Então ele poder ter outro propósito. Eu não acho que ele tenha feito aquilo apenas emocionalmente. Há uma razão, seja simples ou não, para ele fazer o que faz e justificar. Isso é assustador”.

Chapman atualmente cumpre pena em Nova York, nos Estados Unidos. Em 2014, ele disse que se sente um “idiota” por ter matado o ex-Beatle: “Na época [do crime], eu não pensava em outra pessoa além de mim. Lamento por ter causado tanta dor. Lamento por ter sido um idiota e ter escolhido a glória errada”.

 

UOL

Comentários

comentários