Viúva diz que teve premonição antes da morte de Nelson Xavier

G1/JN

O corpo do ator Nelson Xavier é velado na Capela 1 do Cemitério do Caju, na Zona Portuária do Rio, na manhã desta quinta (11). O corpo será cremado à tarde em cerimônia reservada à família.

Mulher de Nelson A viúva de Nelson Xavier, a atriz, cantora e bailarina Via Negromonte contou que o ator há 14 anos lidava com um câncer e que há 13 anos fazia quimioterapia, mas nunca quis que as pessoas percebessem que ele estava doente. Nos últimos oito anos a doença tinha se agravado e há 2 anos ele estava bastante debilitado.

Velório do ator Nelson Xavier no Cemitério do Caju: a mulher Via Negromonte chora ao lado do caixão Foto: Gabriel de Paiva / Agência O Globo

“Como tratamento convencional já não dava mais resultados, fomos para Uberlândia onde ele fazia um tratamento de recuperação do corpo. Estávamos nos mudando para lá, quando há quatro dia a situação se agravou muito. Tive inclusive uma premonição. Quando chegamos em Uberlândia ele disse: ‘Chegamos ao paraíso do céu azul de Uberlândia’. Ali senti a despedida”, disse Via.

A viúva contou que o ator, que era ateu, mas que depois de encenar o líder espiritual Chico Xavier passou a acreditar e buscar a evolução espiritual. “Brincávamos dizendo que, apesar de tudo a humanidade caminha. Ele jamais abriu mão da dignidade, da humildade. Ele foi grandioso”, contou a viúva. Ela destacou também que embora eles tivessem combinado de ele ser cremado com um terno que ganhou da irmão de Chico Xavier- e que usou como um dos figurinos no filme sobre o médium- acabou acontecendo um desencontro. “A nossa mudança estava chegando em Uberlândia, a gente já estava voltando pra o enterro aqui no Rio. Então, ele não vai ser cremado com o terno do Chico. Acho que era para que eu guardasse a lembrança comigo”, disse Via Negromonte.

O ator Othon Bastos, que trabalhou com Xavier em “Os deuses e os mortos”, disse que a amizade é o que vai ficar pra sempre em seu coração. “Isso não é um adeus, é um até logo. Ele e te uma pessoa linda, maravilhosa. A amizade vai ficar no coração”.

Nelson Xavier, de 75 anos, morreu na madrugada desta quarta em um hospital de Uberlândia. O artista nasceu em São Paulo, mas viveu boa parte de sua vida na capital fluminense.

O diretor Erico Rassi, que dirigiu o último filme protagonizado por Nelson Xavier, -“Comeback” – disse que foi um privilégio trabalhar com o ator e poder aprender com a experiência dele. O filme de estreia de Rassi foi rodado no interior de Goiás, em 2013, quando o ator já estava doente. Com a personagem, Nelson Xavier ganhou prêmio de melhor ator no Festival do Rio.

“Ele interpretou um pistoleiro aposentado que queria voltar à ativa e reviver seus momentos de glória, mas não era bem sucedidos. Filmou com a gente durante quatro semana, com cenas que exigiam até certo esforço físico. Trabalhar com ele foi como se eu fosse um treinador iniciante dirigindo um craque, o Pelé. Ele fazia muito bem esses tipos do interior, bem brasileiros”, disse o diretor.

O corpo do ator deixou Uberlândia (MG) no início da tarde desta quarta-feira (10) e chegou ao aeroporto Santos Dumont por volta das 17h30.

Em 2014, durante o Festival de Gramado, Nelson Xavier contou que fez tratamento contra o câncer de próstata em 2004 e que estava livre da doença. Foi lá também que recebeu o prêmio de melhor ator com “A despedida”, um de seus últimos trabalhos.

Nelson Xavier já vinha sendo tratado em uma clínica de geriatria na cidade, prestadora de serviço do Hospital Santa Genoveva. Segundo informações do hospital ao G1, ele deu entrada nesta terça-feira (9), às 10h57 e, em seguida, transferido para um quarto particular. A morte, por volta das 0h45, ocorreu após o agravamento de uma doença pulmonar.

“O ator faleceu próximo a amigos e familiares. Estava com o semblante sereno”, disse o o médico geriatra Tiago Ferolla.

Comentários