Vitor Belfort atropela Henderson e fecha trilogia com vitória no 1º round

Vitor Belfort mostrou, neste sábado (7)  no UFC São Paulo, sediado no Ginásio do Ibirapuera, que, apesar dos 38 anos, conserva a potência e a precisão dos golpes que o fizeram ser apelidado de “Fenômeno”. Ele deu sinais de que a derrota para Chris Weidman, em maio, não o abalou e deu a volta por cima no octógono em grande estilo ao nocautear Dan Henderson aos 2m07s do primeiro round do duelo principal do evento. O anfitrião anotou 2 a 1 no histórico de confrontos com o oponente, fechando a trilogia de maneira magistral.

Vitor Belfort vibra com o nocaute aplicado em Dan Henderson (Foto: Marcos Ribolli)
Vitor Belfort vibra com o nocaute aplicado em Dan Henderson (Foto: Marcos Ribolli)

Sob o tradicional grito de “Uh! Vai morrer!”, Vitor Belfort e Dan Henderson começaram cautelosos, passando mais de dois minutos apenas se estudando. Quando o brasileiro decidiu exibir seu arsenal, no entanto, precisou de poucos segundos para reforçar que ainda está dentre os melhores do peso-médio. Com um chute alto, que explodiu na cabeça de “Hendo”, o “Fenômeno” abriu caminho para a vitória e, após castigar o oponente no chão, faturou o nocaute.

– Quero agradecer ao povo brasileiro que ficou acordado até de madrugada para me apoiar, no meio desta crise, com esse governo corrupto que precisa acabar. Fora governo corrupto! Consciência, Brasil! A consciência de vocês tem que estar bem atenta agora, porque é o momento de mudança. Estou aqui para provar isso: você às vezes cai, mas cai de cabeça para cima, e a gente se levanta – discursou Belfort após a luta.

Após a derrota para Chris Weidman, Belfort retoma os holofotes da categoria com uma apresentação convincente e avassaladora, assinalando o 25 triunfo de sua longa carreira no MMA. Henderson, por sua vez, vai se aproximando da aposentadoria. O americano, de 45 anos, perdeu três de suas últimas cinco lutas na organização, retrospecto aquém de sua história no esporte.

Henderson reclamou um pouco quando a luta foi encerrada, mas não culpou Mário Yamasaki.

– Ele obviamente me pegou com um bom chute. Eu entrei direito no golpe. O Mário está ali para nos proteger. Eu estava consciente de tudo, mas posso entender. Eu estou decepcionado comigo mesmo, pois estava indo na estratégia correta, mas ele me atingiu – disse o americano.

Globo.com

Comentários

comentários