Visita regular de agente de saúde é estratégia do governo para combater o Aedes Aegypti

“A ação do Estado é principalmente no combate aos focos das larvas”, é o que afirmou o Secretário de Saúde do Mato Grosso do Sul, Nelson Tavares, sobre o mosquito Aedes aegypti, durante entrevista ao programa Tribuna Livre e ao Página Brazil na manhã desta quinta-feira (04).

Secretário de Saúde, Nelson Tavares.
Secretário de Saúde, Nelson Tavares.

De acordo com o Secretário, a estratégia estadual para diminuir os casos de dengue, zika vírus e chikungunya, é melhorar a qualidade da visita familiar que são feitas por agentes de saúde, já que pelo menos 60% dos focos de dengue são encontrados nas casas. “Para que as larvas não se transformem em mosquitos, temos que fazer o monitoramento em tempo real, ou seja, uma vez que o foco for identificado, ele deve ser imediatamente combatido. Para isso, as visitas dos agentes de saúde devem continuar acontecendo regularmente”, explicou Tavares.

aedes-aegypti-mosquito

Em Campo Grande, o Zika Vírus já foi confirmado em três gestantes e os casos estão sendo acompanhados. Para o Secretário não há dúvidas de que a doença esteja diretamente ligada aos casos de microcefalia. “Tecnicamente os casos não foram confirmados, mas não existe dúvida nenhuma de que o Zika está ligado à microcefalia e também a outras alterações neurológicas que podem ocorrer na área visual, auditiva, entre outras” disse. Ainda segundo o Secretário, todos devem combater os focos, mas principalmente as gestantes.

Algumas medidas simples que já foram muito usadas no passado podem ajudar na proteção contra o mosquito, como as telas que são colocadas em janelas e portas. Para as gestantes, a dica é que usem mais blusas de mangas e calças, além do uso de repelentes. “Quando a gestante já está contaminada, não temos muito o que fazer, somente acompanhar o caso. O importante mesmo é que as grávidas evitem de ser picadas pelo mosquito”, finalizou.

Kerolyn Araújo

Comentários

comentários