Vídeo: Repórter e cinegrafista são mortos em transmissão ao vivo nos EUA

Um atirador abriu fogo em uma transmissão de TV ao vivo na Virgínia, matando uma repórter e um cinegrafista de uma rede local. Uma entrevistada ficou ferida no episódio, na cidade de Moneta. No vídeo, é possível ouvir os tiros e a dupla à frente da câmera correndo. O atirador fugiu após disparar ao menos seis tiros.

Dois jornalistas de TV foram mortos com tiros na Virginia quando conduziam uma entrevista ao vivo. O incidente ocorreu em Bedford County. As imagens mostram que, quando os tiros foram ouvidos, a repórter e uma entrevistada se abaixaram assustadas Foto Reprodução/WDBJ 7
Dois jornalistas de TV foram mortos com tiros na Virginia quando conduziam uma entrevista ao vivo. O incidente ocorreu em Bedford County. As imagens mostram que, quando os tiros foram ouvidos, a repórter e uma entrevistada se abaixaram assustadas Foto Reprodução/WDBJ 7

Na transmissão, a repórter Alison Parker, da WDBJ, entrevista uma empresária até ser surpreendida pelos tiros, quando o cinegrafista Adam Ward desaba. Aos gritos, ela corre em meio a outros disparos, e a transmissão é cortada, mostrando uma expressão de surpresa da apresentadora.

Afiliada da CNN, a emissora de Roanoke, perto da cidade onde houve os tiros, anunciou a morte da dupla. Eles cortaram quaisquer exibições do episódio.

O atirador, um homem de roupas escuras brevemente flagrado na transmissão, fugiu. Não estão claras as possíveis motivações para o ataque. A polícia disse ter a placa do carro no qual ele escapou.

Chefe da câmara de comércio da região onde houve o ataque, a entrevistada Vicki Gardner foi atingida nas costas e passa por cirurgia.

As escolas perto da Bridgewater Plaza, onde aconteceu o episódio, tiveram as portas fechadas e a segurança reforçada. Equipes de segurança investigam o local e emitiram um alerta máximo em busca do suspeito.

Alison tinha 24 anos, e Ward, 27. Eles receberam homenagens imediatas da WDBJ, que relatou o episódio desde o corte da transmissão.

“Não sabemos o motivo, e nem quem é o atirador. O condado de Franklin, que investiga o caso, está trabalhando com diligência para achá-lo e descobrir o motivo deste crime tão terrível. Nossos corações estão partidos”, disse o presidente e diretor-geral da emissora, Jeff Marks.

Após o ataque, a polícia de Nova York anunciou um aumento no reforço à segurança de estações de televisão da cidade. A iniciativa foi tomada com base em medidas de padrão antiterrorismo.

Comentários

comentários