Vídeo: grupo divulga imagens e assume autoria do ataque à sede do Porta dos Fundos

Criminosos se autointitulam do Comando de Insurgência Popular Nacionalista e dizem que o canal de humor é um ‘grupo de militantes marxistas culturais’

Um grupo divulgou, nesta quarta-feira, imagens do ataque à sede do Porta dos Fundos, no Humaitá, na Zona Sul do Rio. Na madrugada de terça, o prédio da produtora foi alvo de coquetéis molotov que foram disparados contra a fachada do imóvel. Na ocasião, o incêndio foi controlado por seguranças que estavam no local. Ninguém ficou ferido.

No vídeo divulgado ontem, três pessoas encapuzadas aparecem atirando os explosivos contra o prédio. Uma quarta grava a ação. O ataque foi revindicado por um grupo autointitulado Comando de Insurgência Popular Nacionalista.

Além das imagens do momento do ataque, no vídeo divulgado, três pessoas encapuzadas aparecem com uma bandeira do Império brasileiro estendida sobre uma mesa. Um deles lê um comunicado, com a voz alterada, se dizendo fazerem parte da “família integralista brasileira” e explicando os motivos que levaram à ação.

“Reivindicamos a ação direta revolucionária que busca justificar os anseios de todo povo brasileiro contra a atitude blasfema, burguesa e antipatriótica que o grupo de militantes marxistas culturais Porta dos Fundos tomou quando produziu o seu Especial de Natal a mando da corporação bilionária Netflix, deixando claro para todo o povo brasileiro mais uma vez, como o grande capital anda de mãos dadas com os ditos socialistas”, alegam; confira!

O vídeo em questão é o especial de Natal do Porta dos Fundos A Primeira Tentação de Cristo, exibido pela Netflix. A produção é alvo de críticas desde que foi lançada por fazer sátiras com personalidades bíblicas, como Jesus e Maria. O fundador do cristianismo, por exemplo, é retratado como homossexual e sua mãe, Maria, como usuária de drogas.
Desde que foi lançada, a produção é alvo de críticas de grupos conservadores, chegando a ser alvo de um abaixo-assinado para a sua retirada do ar e de pedidos judiciais, todos negados.

Após o ataque, o Porta dos Fundos divulgou comunicado, condenando o ato e dizendo que já disponibilizou a as imagens das câmeras de segurança do prédio para polícia.
“Por enquanto, adiantamos que seguiremos em frente, mais unidos, mais fortes, mais inspirados e confiantes que o país sobreviverá a essa tormenta de ódio e o amor prevalecerá junto com a liberdade de expressão”, acrescentou. Vários integrantes do grupo também se manifestaram repudiando o ataque, dizendo que “não vão nos calar! Nunca! É preciso estar atento e forte”.

O caso é investigado pela 10ª DP (Botafogo). A Polícia Civil disse que já fez a perícia no local e que o Esquadrão Antibombas arrecadou fragmentos dos artefatos para análise.
“Diligências estão em andamento para esclarecer o caso”, a assessoria da Polícia Civil se limitou a dizer, sobre as investigações.