Vice-diretor é acusado de humilhar garoto que foi de chinelo à escola

Garoto fica descalço em sala de aula após supostamente ter seus chinelos retirados pelo diretor da escola (Foto: Reprodução)
Garoto fica descalço em sala de aula após supostamente ter seus chinelos retirados pelo diretor da escola (Foto: Reprodução)

A Polícia Civil do Distrito Federal está investigando o vice-diretor do Centro de Ensino Fundamental do Arapoanga, região administrativa que fica a 49,6 km do centro de Brasília, por maus-tratos contra um aluno de 13 anos.

Um vídeo que circula pelas redes sociais mostra o garoto descalço durante uma aula e de cabeça baixa. Segundo o Conselho Tutelar de Planaltina, o menino havia sido punido por Jordenes Ferreira da Silva por ter ido à escola usando chinelos. O vice-diretor foi levado à 31ª Delegacia de Polícia, que fica em Planaltina, e liberado logo em seguida.

O Conselho Tutelar informou à Polícia Civil que recebeu as imagens do garoto via WhatsApp na tarde de segunda-feira (05). Na mensagem, testemunhas afirmavam que o vice-diretor teria obrigado o aluno a tirar os chinelos e depois o encaminhado à sala de aula descalço. A cena teria motivado os colegas a rirem do garoto.

Mais tarde, por volta das 15h30, uma equipe chegou à instituição e constatou que o aluno continuava na sala de aula com a cabeça sobre a carteira, chorando, ainda com os pés descalços.

Na delegacia, o vice-diretor afirmou que é “normal” ter problemas de disciplina em todas as escolas, principalmente em áreas carentes, e alegou que a represália foi porque o garoto chutava uma bola de papel e fita crepe aleatoriamente, promovendo uma “algazarra e instigando” os demais alunos.

No boletim de ocorrência, Jordenes Ferreira declarou que nenhum aluno é impedido ou repreendido no âmbito da instituição com relação ao uso de sandálias ou similares. Também garantiu que o aluno foi abordado em virtude da indisciplina, e não pela ausência ou tipo de calçado. Procurado pelo UOL, ele não quis se pronunciar.

Comentários