Vereadores minimizam importância de discussões sobre cassação de Bernal no Whatsapp

O vereador Jamal Salem admitiu a existência do grupo de vereadores no whatsapp, mas afirmou que quase não participou das discussões do grupo e que “não se lembra se o prefeito afastado Gilmar Olarte e a esposa, Andrea Olarte, participava do grupo”.

Shimabukuro confirmou a existência de um grupo de vereadores no whatsapp Foto Silvio Ferreira
Shimabukuro confirmou a existência de um grupo de vereadores no whatsapp Foto Silvio Ferreira

De acordo com informações divulgadas do promotor do MPE, Marcos Vera, nesta quarta-feira (14), em que “vereadores teriam discutido a cassação do prefeito Alcides Bernal,”

Sobre o asunto e o relatório das perícias nos celulares de 17 vereadores – apreendidos em 25 de agosto, data da primeira etapa da operação Coffee Break, do Ministério Público Estadual (MPE) – entregue nesta quarta-feira (14), pelo Instituto de Criminalística (IC).

O vereador Edson Shimabukuro confirmou a existência de “um grupo de vereadores no whatsapp, do qual pouco participei, mas declarou desconhecer que “o assunto da cassação de Bernal tenha sido discutido ali.”

Já o vereador Paulo Siufi (PMDB) estranhou que depoimentos que ele prestou ao MPE, sob sigilo de justiça, continuem sendo amplamente divulgados.

“Como vereador, eu me comuniquei com a ex-primeira-dama [Andrea Olarte] do município, como me comunicava com as primeiras-damas de gestões anteriores. Então eu pergunto se a divulgação de informações [pontuais e seletivas] de trechos de depoimentos feitos em segredo de justiça, interessa a quem? Isso não é uma cortina de fumaça?”, questionou, sem especificar se essas ações seriam para desviar o foco da legitimidade dos argumentos que levaram o prefeito Alcides Bernal à cassação, ou outros.

Comentários

comentários