Vereadores faltam a reunião e presidente da “comissão da passada de mão” reclama

Marcelo Mourão, presidente da Comissão de Ética da Câmara; “tenho feito minha parte”  Foto: Thiago Morais Divulgação
Marcelo Mourão, presidente da Comissão de Ética da Câmara; “tenho feito minha parte” Foto: Thiago Morais Divulgação

A reunião agendada para as 17h30 de segunda-feira (17) na Câmara de Vereadores de Dourados para tratar sobre a suposta passada de mão do vereador Maurício Lemes (PSB) na colega de Casa, Virgínia Magrini (PP), não aconteceu. O motivo, segundo o presidente da Comissão de Ética e Decoro Parlamentar, vereador Marcelo Mourão (PSD), foi a falta de quórum.

De acordo com o Dourados News, os dois legisladores que fazem do grupo que investiga o caso, Juarez de Oliveira (PRB) e Cido Medeiros (DEM) não compareceram. O fato causou irritação por parte de Mourão. Em entrevista na manhã desta terça-feira (18), ele se mostrou incomodado com a situação e reclamou da atitude dos colegas.

“Eu não estou aqui brincando de ser vereador. Esse é um assunto delicado, mas precisamos deliberar. A reunião foi convocada para as 17h30. Cheguei ao meu gabinete às 17h e no horário marcado estava pronto. Ninguém apareceu. Às 18h25 eu dei por encerrada a agenda pela falta dos membros, está tudo em ata e vou publicar no Diário Oficial do município”, desabafou o vereador.

Segundo Marcelo Mourão, uma nova reunião foi agendada para a quinta-feira (20), às 7h na Câmara. “Precisamos dar continuidade no processo, agora, eu não posso deliberar sozinho, são necessárias pelo menos duas pessoas. A população cobra, quer saber como andam os trabalhos, porém, sem os integrantes não tem como fazer nada”, contou.

Depois o desabafo do presidente da Comissão, o Dourados News procurou os outros dois vereadores. Segundo Cido Medeiros, o curto espaço de tempo entre a reunião e a sessão ordinária prejudicou sua presença, porém, ele também não garantiu que estará no encontro agendado para a quinta-feira.

“Marcam reunião às 17h30 com sessão às 18h30? Fica difícil. Também não sei se vou participar nesta quinta-feira. Fui escolhido por sorteio e não concordo com isso. Mas, vou me posicionar até o dia”, relatou o democrata que foi sorteado pela Casa após a saída de Ramão Cirilo (PTC), arrolado como testemunha e as negativas de Bebeto (PDT) e Aguilera de Souza (PSDC).

Já Juarez de Oliveira não atendeu as ligações feitas pela reportagem. Em contato com o seu gabinete, a informação era de que ele não estava.

O CASO

A vereadora Virginia Magrini acusa o colega Maurício Lemes de ter passado a mão em sua nádega após a sessão ordinária ocorrida no dia 8 de junho, na Câmara de Vereadores de Dourados.

No dia seguinte, ela registrou boletim de ocorrência na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher.

A Comissão Parlamentar de Ética começou a apurar o caso no dia 16 de junho quando aconteceu a primeira reunião, após os vereadores votarem favorável à denúncia de Magrini contra Lemes.

Comentários

comentários