Vereadores desistem de reajuste e congelam salários até 2020

Em sessão na manhã desta quarta-feira (21), os vereadores de Campo Grande decidiram manter seus próprios salários nos atuais R$ 15.031,76, e do prefeito em R$ 20.412,42,. Se fosse efetivado o acréscimo aprovado em 2014, os parlamentares receberiam a partir de 2017 R$ 18.991, que representa reajuste de 26% e 22 salários mínimos.

Vereadores fizeram votação rápida e decidiram manter salários.

Em votação durante sessão extraordinária foram aprovados dois projetos de lei neste sentido. Sendo assim, o texto de 2014 que previa aumento salarial não term mais validade.

De acordo com as matérias aprovadas nesta manhã, a remuneração do prefeito eleito Marquinhos Trad (PSD) segue a mesma R$ 20,4 mil e da vice Adriane Lopes (PEN) R$ 15,3 mil. Dos secretários municipais R$ 11,6 mil.

Os vereadores consideram que embora, o novo valor só entrasse em prática no próximo mês, a atitude tomada hoje não foi de congelamento da folha de pagamento e sim redução.

A votação contou com 22 votos favoráveis à manutenção e nenhum contrário. Segundo o presidente da casa de leis, vereador João Rocha (PSDB), “foi por entendimento dos vereadores acabamos de marcar um ponto de responsabilidade com a cidade. Apesar de já termos garantido o salário aprovado em dezembro de 2014, entendemos que o momento é de reduzir o salário”, afirmou.

Comentários