Vereadora volta a afirmar que não solicitou seguranças armados

A vereadora Luiza Ribeiro (PPS) defendeu-se das acusações de que teria faltado com a verdade quanto a não ter conhecimento sobre a presença de policiais militares armados, à paisana, durante sessão da Câmara Municipal do último dia 22. Imagens do circuito interno de câmeras de segurança da Casa, mostram o momento em que a vereadora conversa com os PMs logo em sua chegada ao prédio.

Mesmo com imagens, Luiza segue negando escolta de PMs Foto Silvio Ferreira
Mesmo com imagens, Luiza segue negando escolta de PMs Foto Silvio Ferreira

Segundo a vereadora, “o contato foi breve, no momento em que eu chegava à Câmara e depois, as mesmas pessoas foram ao meu gabinete entregar um documento, mas eu não solicitei a presença dos mesmos. Eu considero esse caso um assunto encerrado”, declarou.

Sobre o anúncio de que será interpelada judicialmente pelo ex-governador André Puccinelli (PMDB) sobre as afirmações feitas durante depoimento ao Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual (MPE) – sobre um suposto esquema de irregularidades comandado pelo peemedebista -, a vereadora declarou que “responderá à qualquer questionamento que venha a ser feito”. 

Ainda sobre às repercussões de suas declarações durante o depoimento entre seus colegas, em especial a fala da vereadora Carla Stephanini (PMDB) – que sinalizou uma mobilização da bancada do partido pela abertura de uma ação por quebra de decoro parlamentar contra a vereadora do PPS, que declarou que “a vereadora do PPS não tem condições de ocupar uma cadeira na Casa, fazendo acusações graves e sem provas”, Luiza Ribeiro declarou: “Eu não vou falar sobre os pronunciamentos de colegas, por mais ‘ácidas’ que sejam as suas falas.” E concluiu: “A única coisa que espero é aquilo que ofereço: respeito!”.

Silvio Ferreira

Comentários

comentários