Vereadora recebe denuncia sobre “máfia” de alvarás em Campo Gande

A vereadora Luiza Ribeiro (PPS) recebeu na manhã desta segunda-feira (13) um grupo de moto taxistas que denunciou a exploração do serviço pela “máfia” dos alvarás.

Hoje, apenas 30% dos alvarás estão realmente nas mãos de trabalhadores moto taxistas, os outros 70 % estão nas mãos de quem explora o serviço, cobrando valores mensais de que variam de R$ 1.000 a R$ 1.800 mensais dos auxiliares.

Vereadora recebe denuncia sobre "máfia" de alvarás em Campo Gande
Vereadora recebe denuncia sobre “máfia” de alvarás em Campo Gande

Além disso, os auxiliares são responsáveis pelas despesas diárias de gasolina, manutenção e aluguel do ponto (R$ 76 mensais) e as motos são dos auxiliares, mas registradas em nomes dos permissionários.

“Prejuízo aos trabalhadores, aos familiares e quem precisa do serviço que deixou de ser público porque está sendo explorado por uma máfia detentora dos alvarás. Os trabalhadores que iniciam o mês de trabalho devendo e são obrigados a trabalharem de 15 a 18 horas por dia para arcarem com as despesas para trabalharem pedem uma nova legislação e principalmente o fim da máfia de alvarás que exploram o serviço na capital”, comentou a vereadora, que deve realizar pela Comissão de Direitos uma Audiência Pública para discutir uma nova legislação pelo fim da exploração dos auxiliares.

O moto taxista M.H.T, que é auxiliar, fez denuncia na Agetran em vista dos alvarás que estão em nome de pessoas que não trabalham diretamente, alguns funcionários públicos da Guarda Municipal, do Governo do Estado, Prefeitura e do Exercito Brasileiro.

“É um absurdo o que está acontecendo, não temos qualquer garantia trabalhista, não temos tempo com a família e se acontece um acidente minha moto é passada para outras pessoas trabalhar para cumprir a despesa do alvará, ou seja, sou usado de todas as formas, inclusive já pensei em larga o alvará e fazer o serviço clandestinamente”, desabafou denunciando ainda a venda de alvarás que é proibida.

No documento entregue a vereadora, os auxiliares reivindicam: 1. Melhor distribuição dos alvarás e que estes sejam destinados a quem realmente trabalha nos pontos. 2. Limitar o valor de arrendamento a 1 salario mínimo. 3. Anular o mês de arrendamento, garantido assim férias. 4. Aceitação do atestado médico no abatimento da diária (se o moto taxista esta doente como vai pagar a diária). 5. Revisão da lei de 20% dos alvarás para mulheres, que elas precisam estar efetivadas, e não podem arrendar e muito menos doar, assim pegara alvará somente as mulheres que realmente precisam trabalhar.

Comentários

comentários