Vereador envolvido em escândalo sexual cogita renunciar ao mandato

Envolvido em escândalo de exploração sexual, o vereador Alceu Bueno (sem partido) cogita renunciar ao mandato na Câmara Municipal de Campo Grande. Além de ser alvo da polícia, a Mesa Diretora já anunciou a abertura de comissão processante para cassá-lo

Alceu Bueno pode pedir renúncia nesta semana
Alceu Bueno pode pedir renúncia nesta semana

O advogado que representa o vereador, Fábio Theodoro de Faria. frisa que a decisão ainda não foi tomada, mas que é comum, em casos como o de Bueno, quando a renúncia representa uma estratégias adotada pela defesa. “Essa sempre é uma orientação, porque se ele correr o risco de perder o mandato, abdicar ao cargo impediria que ele não pudesse disputar eleições novamente”, afirma o advogado. A decisão deverá ser confirmada na próxima semana.
.
Com nível de “estresse elevado”, Bueno renunciou ao cargo de presidente estadual do PSL e ganhou atestado de saúde por 30 dias e, com essa justificativa, não foi depor sobre acusação de participação em esquema de exploração sexual. Segundo a polícia, existem vídeos de sexo dele com duas meninas de 15 anos.
A Câmara de Vereadores irá votar, nesta semana, abertura de Comissão Processante que, se aprovada, dará início ao processo de julgamento do vereador. Se constatado que houve quebra de decoro do vereador, ele poderá ser cassado e, ainda, ficar inelegível por oito anos.

CASO

O caso veio à tona dia 16 de abril, quando o próprio vereador denunciou esquema de extorsão. Com os vídeos em mãos, o empresário Luciano Roberto Pageu e o ex-vereador Robson Martins cobravam dinheiro para não divulgar o material. Eles chegaram a embolsar R$ 100 mil e pediam mais R$ 27 mil.

A eventual renúncia ou cassação abre as portas do legislativo para outro novato. Com 2,4 mil votos, Roberto Santana dos Santos, conhecido como “Betinho” pode ser o novo vereador de Campo Grande.

Comentários

comentários