Vereador e mais 3 são presos por suspeita de sequestrar e matar jovem

Willian Ricardo Chaves da Costa, vereador de cidade do Paraná, preso em Iguatemi – Divulgação

O vereador Willian Ricardo Chaves da Costa (PRB), de Bela Vista do Paraíso, no Paraná, foi preso em Iguatemi com outras três pessoas por suspeita de participação em assassinato. O grupo primeiro fugiu para Campo Grande, mas voltou a se deslocar rumo à fronteira do Brasil com o Paraguai.

Apesar da tentativa de enganar a polícia, foi feito monitoramento e os quatro foram presos antes que tentassem fugir novamente. Na fuga, eles percorreram mais de 570 quilômetros entre Bela Vista do Paraíso e Campo Grande, depois outros 470 entre a Capital e Iguatemi.

As prisões do vereador, de Ricardo Aparecido Chaves, 40 anos, de Bruno Cesar da Costa, 21 anos e de Júnior Cesar da Costa Choptian, 18 anos, aconteceram no final de semana, durante trabalho conjunto entre policiais do Paraná e de Mato Grosso do Sul. Os quatro estavam em festa do laço que acontecia em Iguatemi.

A polícia dividiu o quarteto e encaminhou parte para a Delegacia de Mundo Novo e outra parte para Eldorado. A transferência deles para a cidade paranaense deve acontecer ainda nesta semana.

Eles são investigados na participação da morte de Lucas Henrique dos Santos Ferraz, 19 anos. O rapaz foi espancando perto de posto de combustível, no Centro da cidade paranaense, diante de vários moradores. A vítima tentou fugir dos agressores, mas foi perseguida.

O site Massa News informou que a perícia técnica identificou que a morte foi causada por tiro na nuca. O corpo do jovem estava no rio Vermelho e acabou localizado na sexta-feira (16) pela Defesa Civil local. As agressões e o desparecimento de Ferraz foram comunicados no sábado (10). O motivo do crime não foi divulgado.

O vereador vai responder por sequestro, homicídio e ocultação de cadáver.

Willian Ricardo Chaves da Costa está em seu primeiro mandato e não foi reeleito nas eleições deste ano. Ele integrava a comissão de educação, saúde e assistência social, além da comissão de obras, serviços públicos, agroindústria, comércio e turismo. (Com Informações G1)

Comentários