Vereador acaba com ‘novela’ e segue para Assembleia Legislativa

O vereador Paulo Siufi (PMDB), recém reeleito para o quarto mandato na Câmara de Campo Grande, decidiu que irá mesmo renunciar ao cargo e assumirá a vaga de deputado estadual na AL-MS (Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul), aberta pelo agora prefeito da Capital, Marquinhos Trad (PSD). O fim da ‘novela’, que vinha desde a vitoria do primo, que ele não apoiou nas eleições de outubro de 2016, chegou hoje. O parlamentar em anuncio na rede social, divulgou a posição, sem muito alarde, apesar da imprensa já ter ficado muito ‘em seu pé’, para saber da decisão, que ele dizia protelar pensando no trabalho individual pelo município.

“O ano de 2017 chegou, e com ele veio uma nova oportunidade, a de seguir para a Assembleia Legislativa como deputado estadual”, iniciou o anúncio em sua conta do Facebook.

Siufi alegava também que a ‘nova missão’ teria que ser construída e que não havia exatamente planejado, apesar de almejada, no pleito eleitoral estadual há dois anos, quando ficou na segunda suplência do seu partido, do qual Trad também era até junho passado. Contudo, após os dois e meio meses, o que era dúvida, ele levou em consideração quanto a ajuda que pode oferecer à Capital, mesmo estando no Legislativo Estadual. “Continuo trabalhando por nossa cidade, como sempre fiz, e espero poder contribuir ainda mais para seu crescimento e desenvolvimento. Em fevereiro assumirei o mandato de deputado estadual de Mato Grosso do Sul, com a missão de fazer mais por Campo Grande e agora, também por todo o nosso Estado”, disse.

O vereador-deputado, usou as palavras ou mensagem ao eleitorado para justificar a decisão, pois ele também refletia o resultado das urnas da última eleição, que foi dificultosa e que quase também lhe custou o quarto mandato na Câmara, como ocorreu com outros 18 vereadores que não se reelegeram.

Incerteza

Até então, o futuro político de Siufi era incerto, pois o parlamentar conseguiu se reeleger para mais quatro anos na Câmara Municipal, enquanto, a vaga na Assembleia vai durar só dois anos.

O parlamentar confirmou a decisão e que já conversou com o prefeito, além de lideranças. Agora, deve procurar as casas legislativas municipal e estadual para comunicar a decisão.

Com a eleição de Marquinhos, em outubro passado, a próxima a assumir a vaga era Délia Razuk (PR), pois era a primeira suplente. No entanto, ela foi eleita prefeita de Douradas, segunda maior cidade de MS, deixando para Paulo Siufi a vez, já que era o segundo suplente.

Comentários