Velório do sertanejo Chico Rey atrai centenas de pessoas em Taguatinga

O velório do cantor Chico Rey ocorre desde o início da manhã deste domingo (28/2). Mais cedo, houve uma missa que foi aberta somente para familiares e amigos. Desde às 10h o público faz fila para dar o último adeus ao artista. O sepultamento está programado para as 17h, no cemitério de Taguatinga.
Chico Rey
Batizado de Francisco Aparecido de Jesus Gomes, “Chico Rey” fazia dupla com o seu irmão, Paraná. Ele morreu em Maceió, onde passava férias com a família. Paciente renal crônico há sete anos, Chico Rey se submeteu a sessões de hemodiálise e há alguns dias teve um sangramento em uma fístula criada para possibilitar o procedimento.

 

A hemorragia aumentou na última sexta-feira (26/2). O músico foi levado às pressas para o hospital, onde teve sucessivas paradas cardiorrespiratórias e não resistiu. Chico chegou a se submeter a um transplante renal em 2010, mas houve rejeição.

Desde ás 10h o público faz fila no Taguapark para dar o último adeus ao artista Foto: Correio Braziliense

Tristeza

Após a morte do músico, a irmã, Iara Gomes, o descreveu como um irmão querido, um amigo dedicado e um cantor admirado. Ela disse que a família estava em choque. “Estou sem chão. Acho que só no velório vou acreditar que perdi o meu irmão querido, que considerava como um pai.” O cantor Daniel, um dos ícones do sertanejo, publicou em redes sociais que Chico Rey era “bom caráter e boa gente”. “Tivemos mais uma perda irreparável para nossa música sertaneja, para a bandeira que levantamos”, destacou na publicação.

Chico Rey e Paraná começaram a cantar juntos quando tinham 8 e 6 anos, respectivamente, por influência do pai violonista. Nascidos em Arapongas e criados em Ivaiporã, ambas cidades paranaenses, eles fizeram suas primeiras apresentações em rádios locais. Mas a carreira profissional deles teve início em Brasília.

Os irmãos desembarcaram no Distrito Federal por conta do serviço militar. No início dos anos 1980, lançaram-se no mercado musical, inicialmente como Devanil e Denival, e se tornaram referências na música sertaneja. Principalmente a partir de 1988, quando estourou o sucesso “Quem será seu outro amor”. (Correio Braziliense)

Comentários

comentários