Vaticano canoniza madre Teresa de Calcutá neste domingo

papa-francisco-chega-para-audiencia-com-trabalhadores-e-voluntarios-da-misericordia-no-vaticano-1472907556495_615x470O papa Francisco preside neste domingo (4), na praça de São Pedro, no Vaticano, a cerimônia de canonização de madre Teresa de Calcutá. O processo de canonização teve início com um milagre envolvendo o brasileiro Marcílio Haddad Andrino, da cidade de Santos (SP). Hoje, o papa fez uma referência a santa a partir de amanhã, para que “Imitemos madre Teresa, que fez das suas obras de misericórdia guia de sua vida e caminho para a santidade”, escreveu o pontífice em sua conta no Twitter.

O milagre que envolveu Marcílio, se iniciou com ele sendo diagnosticado com hidrocefalia e uma infecção rara no cérebro. O brasileiro teria sido curado após sua esposa rezar pedindo a intercessão da madre Teresa.

A religiosa, cujo nome verdadeiro é Agnes Gonxha Bojaxhiu, nasceu em uma comunidade albanesa no sul da antiga Iugoslávia. Fez o noviciado e ordenou-se freira na Índia, onde tomou o nome de Teresa. Teve uma revelação em 1946, decidindo abandonar o convento e viver para os pobres.

O papa Francisco disse ainda neste sábado (3) que seja seguido o exemplo da madre Teresa de Calcutá, que amanhã será canonizada, para aliviar o sofrimento do mundo, no discurso que pronunciou perante os chamados operários e voluntários da Misericórdia na Praça de São Pedro. “Amanhã (domingo), teremos a alegria de ver a madre Teresa proclamada santa. Este testemunho de misericórdia de nosso tempo se acrescenta à inumerável lista de homens e mulheres que fizeram visível com Sua Santidade o amor de Cristo”, lembrou.

O pontífice então pediu aos fiéis que imitem seu exemplo, sendo “instrumentos humildes nas mãos de Deus para aliviar o sofrimento do mundo e dar a alegria e a esperança da ressurreição”. Ao citar a madre Teresa de Calcutá, o papa Francisco recebeu aplausos dos fiéis na Praça de São Pedro.

Biografia

Conhecida como Madre Teresa de Calcutá ou Santa Teresa de Calcutá, foi uma religiosa católica de etnia chamada albanesa. Ela nasceu em Üsküp, então capital do Vilayet do Kosovo, subdivisão do Império Otomano. Sua cidade natal é a atual Skopje, hoje capital da República da Macedônia. Ela foi naturalizada indiana, beatificada pela Igreja Católica em 2003. Considerada, por alguns, a missionária do século XX, fundou a congregação “Missionárias da Caridade”, tornando-se conhecida ainda em vida pelo cognome de “Santa das Sarjetas”.

Madre Teresa nasceu em 26 de agosto de 1910, filha de pais albaneses, numa família de três filhos, sendo duas moças e um rapaz. Embora ela tenha nascido a 26 de agosto, ela considerava o 30 de agosto, o dia em que foi batizada, como o seu ” verdadeiro aniversário”. Começou por fazer votos aos 18 anos nas Irmãs de Nossa Senhora do Loreto (Instituto Beatíssima Virgem Maria), na Irlanda, onde pouco tempo viveu.

Já na Índia, a serviço dessa congregação como professora, ao primeiro lar infantil ou “Sishi Bavan” (Casa da Esperança), fundada em 1952, juntou-se ao “Lar dos Moribundos”, em Kalighat. A princípio, ela teve alguns problemas de ordem religiosa, com alguns grupos que professavam uma outra fé, e consequentemente, uma outra religião e cultura, mas com o passar do tempo, todos foram notando, que ela tinha realmente boas intenções, e que sua obra tinha verdadeiramente um caráter nobre. Assim, ela começa a receber donativos de hindus, muçulmanos, budistas, etc. E assim também foi ocorrendo em relação às outras situações difíceis e problemáticas, tais como: crianças abandonadas, pessoas sofrendo de AIDS/SIDA, mulheres que haviam sido abusadas e engravidaram, leprosos…

Mais de uma década depois, em 1965, a Santa Sé aprovou a Congregação Missionárias da Caridade e, entre 1968 e 1989, estabeleceu a sua presença missionária em países como Albânia, Rússia, Cuba, Canadá, Palestina, Bangladesh, Austrália, Estados Unidos da América, Ceilão, Itália, antiga União Soviética, China etc.

Pelo Mundo

O reconhecimento do mundo pelo seu trabalho concretizou-se com o Prêmio Templeton, em 1973, e com o Nobel da Paz, no dia 17 de outubro de 1979.

Morreu em 1997 aos 87 anos, de ataque cardíaco, quando preparava um serviço religioso em memória da Princesa Diana de Gales, sua grande amiga, que faleceu num acidente de automóvel em Paris. Tratado como um funeral de Estado, vários foram os representantes do mundo que quiseram estar presentes para prestar a sua homenagem. As televisões do mundo inteiro transmitiram ao vivo durante uma semana, os milhões que queriam vê-la no estádio Netaji. Encontra-se sepultada em Motherhouse Convent, Calcutá, Bengala Ocidental na Índia.[8] No dia 19 de outubro de 2003, o Papa João Paulo II beatificou Madre Teresa de Calcutá.

O seu trabalho missionário continua através da irmã Nirmala, eleita no dia 13 de março de 1997 como sua sucessora.

Um de seus pensamentos era este: “Não usemos bombas nem armas para conquistar o mundo. Usemos o amor e a compaixão. A paz começa com um sorriso”. Criou as missionárias da caridade, onde todas as freiras iriam ajudar não a ela, mas sim a todos os necessitados.

Papa pede Orações pelo atual momento do Brasil

Também neste sábado, nos jardins do Vaticano, Francisco abençoou um monumento a Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil. Durante a benção, ele pediu orações pelo país.

“Convido-os a rezar para que ela [Nossa Senhora Aparecida] continue protegendo todo o Brasil, todo o povo brasileiro, neste momento triste. Que ela proteja os pobres, os descartados, os idosos abandonados e os meninos de rua”, disse o pontífice.

* Com informações da Rádio Vaticano / Biografia Wikipédia

Comentários

comentários