Uruguai perde para a Venezuela e se complica na Copa América

O Uruguai respira por aparelhos na Copa América Centenário. Na noite desta quinta-feira, a Celeste sofreu uma nova derrota, desta vez contra a Venezuela, por 1 a 0, na Filadélfia, e está praticamente eliminada da competição na primeira fase. Para evitar a queda precoce, a seleção terá de torcer por uma vitória da Jamaica sobre o México, em jogo que acontece a partir das 23h30 (de Brasília) desta quinta.

Rondón marcou o gol da partida, (Foto: Gazeta )
Rondón marcou o gol da partida, (Foto: Gazeta )

Novamente sem Suárez, o Uruguai se mostrou pouco efetivo no ataque e não chegou a assustar o gol adversário. O tento da vitória venezuelana foi marcado aos 36 minutos, com o artilheiro Salomon Rondón, em lance originado com falha de posicionamento do goleiro Muslera.

Para a Venezuela, a vitória representa a classificação adiantada para as quartas de final e leva a equipe aos seis pontos no Grupo C, com dois triunfos. Os venezuelanos voltam a campo na próxima segunda-feira, contra o México, para fechar a primeira fase. No mesmo dia, o Uruguai enfrenta a Jamaica.

A Venezuela não se intimidou com a boa presença da torcida uruguaia e começou impondo seu jogo nos primeiros minutos. No entanto, logo aos sete, acabou perdendo o lateral Rosales, que se machucou após uma dividida com Álvaro González.

O Uruguai cresceu na partida, mas sentia a falta de Luis Suárez. Edinson Cavani, jogador mais importante da equipe em campo sem o camisa 7, acabou protagonizando um lance bizarro aos 14 minutos, furando uma bola em boas condições de finalizar após passe de Stuani.

Se o ataque deixava a desejar na pontaria, a bola parada quase levou a Celeste a balançar a rede. Aos 30 minutos, Ramírez cobrou falta na área, a bola passou por todo mundo e tocou a trave direita do goleiro Hernández.

A chance perdida fez falta para o Uruguai. Aos 36 minutos, a Venezuela chegou ao primeiro gol. Guerra viu o goleiro Muslera totalmente adiantado e tentou um gol antológico do meio da rua. A bola tocou a trave e voltou para Rondón, que concluiu para a rede.

O time sentiu o baque e quase se complicou ainda mais perto do fim da primeira etapa, aos 43 minutos. Guerra fez uma bela jogada individual na entrada da área e bateu em cima de Muslera.

O técnico Óscar Tabárez não promoveu nenhuma mudança no Uruguai para o segundo tempo. A equipe voltou melhor e quase empatou aos sete minutos, com Stuani batendo por sobre o gol após cobrança de escanteio. Depois, aos 22, Cavani tentou finalizar na área, foi derrubado e pediu pênalti, mas a arbitragem mandou o jogo seguir.

Bem fechada na defesa, a Venezuela buscava encaixar um contra-ataque para matar de vez o jogo. A chance de ouro veio aos 22 minutos, em contragolpe fulminante puxado por Peñaranda. Depois de arrancar do seu campo, o meio-campista saiu livre de marcação na frente de Muslera, mas acabou chutando em cima do goleiro e perdendo a grande oportunidade.

A situação do Uruguai se complicava cada vez mais. A equipe não conseguia criar jogadas pelo chão, sentia a falta do talento de Suárez, que estava no banco, e sequer chegava por meio das bolas paradas.

Em meio a todo esse cenário, Edinson Cavani recebeu uma bola para empatar a partida aos 44 minutos e evitar a derrota de sua seleção. No entanto, na hora de finalizar, acabou tentando tirar demais a bola do goleiro e jogou para fora as chances do Uruguai, que praticamente dá adeus à Copa América.
O time celeste ainda quase sofreu o segundo gol no último minuto de partida. Muslera foi para a área tentar o cabeceio em escanteio. A Venezuela saiu em contra-ataque e Otero, com a bola e o gol livre, bateu de longe, a bola triscou a trave e saiu. No entanto, a vitória venezuelana foi consagrada poucos segundos depois, com o apito final.

FICHA TÉCNICA URUGUAI 0 X 1 VENEZUELA

Local: Estádio Lincoln Financial Field, na Filadélfia (Estados Unidos)
Data: 9 de junho de 2016 (quinta-feira)
Horário: 20h30 (de Brasília)
Árbitro: Patricio Loustau (Argentina)
Assistentes: Ezequiel Brailovsky (Argentina) e Ariel Scime (Argentina)
Cartões Amarelos: Figuera, Martínez e Seijas (Venezuela)

GOL: Rondón, aos 36 minutos do primeiro tempo

URUGUAI: Fernando Muslera, Maxi Pereira, José Giménez, Diego Godín e Gastón Silva; Carlos Sánchez (Lodeiro), Álvaro González (Corujo), Arévalo Ríos e Gastón Ramírez (Diego Rolán); Stuani e Cavani
Técnico: Óscar Tabárez

VENEZUELA: Dani Hernández; Roberto Rosales (Alexander González), Wilker Angel, Vizcarrondo e Feltscher; Rincón, Figuera (Otero), Guerra e Peñaranda; Josef Martínez e Rondón (Seijas)
Técnico: Rafael Dudamel

Comentários

comentários