Universidades Estaduais poderão abrir Núcleos de Línguas do IsF

Da Redação/P.F

Foto Divulgação

A primeira reunião do Grupo de Trabalho da Rede Centro-Oeste e Rede Minas, da Associação Brasileira de Educação Internacional (FAUBAI) aconteceu nesta semana, em Brasília e contou com a participação de representantes do Ministério da Educação (MEC) e do programa Idioma Sem Fronteiras. O grupo é coordenado pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), através do seu assessor de Relações Internacionais e Mobilidade, professor doutor Ruberval Franco Maciel.

A pauta da reunião foram as alterações do programa Idioma Sem Fronteiras, que a partir da agora passa a abrir às Universidades Estaduais a possibilidade de criação de um Núcleo de Línguas (Nucli-IsF). Anteriormente, essa abertura era somente para Instituições de Ensino Federais e as Estaduais possuíam apenas a função de aplicação do teste Toefl. “Agora a UEMS, que antes era apenas um centro aplicativo do teste de proficiência em Língua Inglesa, passa a ter a possibilidade de abrir cursos de Inglês gratuitos para toda comunidade acadêmica, professores e funcionários”, explica Ruberval Maciel.

A criação dos cursos de Língua Inglesa será realizada através de edital da Capes, com financiamento de bolsas para alunos de Letras, com fluência na língua, que possam ministrar os cursos. Entre as condições do edital está o nível de interesse de alunos que desejam participar do curso.

Para aumentar o interesse dos alunos pelo aprendizado de outro idioma e assim abrir a possibilidade de criação do Nucli-Is na UEMS, será criada uma campanha de mobilização para que todos os alunos realizem o teste de proficiência no portal do Idiomas Sem Fronteira (http://www.myenglishonline.com.br). “Com uma grande quantidade de alunos interessados no curso, poderemos abrir os cursos na UEMS”, comenta Ruberval.

Como participar

Para participar do Myenglishonline, o aluno deve se cadastrar no portal, responder todas as perguntas do teste socioeconômico e realizar a prova de proficiência. Essas prova indicara o nível de fluência em que o aluno se encontra. Nos níveis 1 e 2, o curso é totalmente online, pelo próprio portal do MEC. Já nos níveis 3 em diante, o aluno poderá escolher entre online e presencial. “Com essa nova modalidade do programa Idioma Sem Fronteiras, as Universidades ganharam com formação dos profissionais que vão ministrar esses cursos e no desenvolvimento linguístico dos seus alunos. O nível de proficiência dos acadêmicos e dos professores influencia nos processos de mobilidade acadêmica e internacionalização da Universidade”, encerrou Ruberval.

Comentários