UFMS prepara professores da rede municipal para multiplicar conhecimento sobre o Aedes aegypti

A Universidade Federal de Mato Grosso do Sul atendeu à solicitação do Ministério da Educação para desenvolver junto às escolas públicas ações de enfrentamento ao mosquito Aedes aegypti.

Na tarde de ontem (29), cerca de cem professores de Ciências da Rede Municipal de Educação de Campo Grande participaram da Formação Zika Zero, com 3 horas de capacitação divididas entre aula de vetor teórico-prática e dinâmica de grupo sobre Dengue, Chikungunya e Zika Vírus.

A for20160329_142332mação está sendo oferecida pelos professores do curso de Biologia e Laboratório de Parasitologia da UFMS. “A proposta do projeto Zika Zero é frear a transmissão do vírus no Brasil, porque a proliferação dessa doença está sendo muito rápida e grave, já que ainda não se conhece todos os danos que esse vírus pode trazer a essa geração de crianças afetadas”, explica a professora do curso de Biologia do CCBS Carla Cardozo Arruda.

Responsável por laboratórios de Ciências em escolas dos bairros Santa Luzia e Jardim Aeroporto, a professora Lúcia Vater iniciou os trabalhos com seus alunos sobre o vetor Aedes aegypti no ano passado.

“As aulas práticas são muito importantes. Os alunos realizam em casa o que aprendem e os pais vêm até conversar conosco sobre os resultados”, disse a professora que espera com a formação oferecida pela UFMS conseguir mais informações e material para trabalhar em laboratório com os estudantes.DSC_9256

Além da formação desses professores, outros trabalhos serão desenvolvidos com a ajuda de acadêmicos participantes do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), do Programa Saúde na Escola e estagiários de alguns cursos, que atuarão como multiplicadores de informações sobre prevenção e combate ao mosquito nas escolas públicas estaduais e municipais.

Comentários

comentários