UEMS forma o primeiro acadêmico deficiente visual

John Lennon é agroecologista, formado na UEMS de Glória de Dourados

Em Glória de Dourados, cidade com aproximadamente 10 mil habitantes, um estudante provou na prática que é possível enxergar mais longe através da educação. O agora tecnólogo em Agroecologia, John Lennon Rodrigues de Oliveira, 23, tornou-se o primeiro cego a se formar pela unidade de Glória de Dourados da Uems (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), contando com apoio de colegas, professores e Universidade.

“Quando me chamaram eu fiquei muito emocionado, as pessoas começaram a gritar meu nome, fiquei muito feliz!”, lembra sorrindo e entusiasmado.

John Lennon com o reitor Fábio Edir e o professor Edson Talarico, na colação de grau
John Lennon com o reitor Fábio Edir e o professor Edson Talarico, na colação de grau

Sem poder enxergar desde que nasceu, Lennon recebeu em casa o apoio dos pais para que estudasse. Entrou na escola aos seis anos de idade, aprendeu o Braille e, agora, aos 23, pode orgulhar-se por fazer parte de uma minoria de brasileiros com formação superior.

O último relatório sobre educação divulgado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) mostra que somente 11% da população brasileira entre 25 e 64 anos de idade atingiram esse patamar educacional, quando o recomendável é, ao menos, 31%.

E o caminho dos estudos não foi fácil para Lennon, que nasceu e ainda vive em uma pequena propriedade rural afastada da cidade ao lado da família. “Para chegar a Universidade eu ia de motocicleta com minha irmã, do sítio da família que fica a 13km da cidade e voltava sozinho de ônibus, era o primeiro a chegar e o último a sair”.

Para ele, o início do curso universitário foi mais difícil, especialmente por ainda não conhecer as pessoas e pelo natural processo de adaptação. Logo, porém, com a ajuda dos colegas conseguiu fazer os trabalhos teóricos e práticos. Utilizava no aprendizado programas de computador que realizam a leitura dos conteúdos e respondia as provas de forma diferenciada.

O professor Edson Talarico Rodrigues, coordenador do curso de Tecnologia em Agroecologia da Uems, ressaltou a alegria pela conquista do aluno, “na formatura comemoramos muito, pois foi uma conquista para nós professores também. Apesar de ter uma limitação, ele tinha bastaste interesse e se superou em todas as atividades”, considerou o professor.

Para o futuro, o novo agroecologista já faz planos de continuar os estudos. Pretende cursar uma especialização ou fazer outra faculdade, “agora pretendo implantar um projeto de produção de leite no sítio da minha família, gosto muito de lidar com gado de leite, suínos e frangos, foi isso que me impulsionou a fazer Agroecologia na Uems”, contou.

A receita para tamanha conquista, John Lennon Oliveira conhece bem: “Tem que ter vontade e querer fazer, com deficiência ou não, é preciso ter objetivo, pois se não quiser não faz! Não pode baixar a cabeça por causa de uma limitação”.

Comentários

comentários