UEMS divulga instruções de matrícula para candidatos aprovados no Sisu

Foto Divulgação

Terminado o período de inscrição dos candidatos no Sistema de Seleção Unificada (SiSU), começam os preparativos para as matrículas daqueles que garantiram a vaga. Na UEMS, as matrículas ocorrerão no dias 3, 6 e 7 de fevereiro, das 13h às 18h em todas as unidades universitárias. Clique aqui para conferir o edital.

Os candidatos aprovados na ampla concorrência bem como os cotistas indígenas poderão realizar a matrícula em qualquer uma das 15 unidades da UEMS localizadas em todo o Estado, nas Coordenadorias de Cursos. Já os cotistas negros deverão concluir a matrícula em uma das quatro cidades onde haverá bancas de avaliação específica para esta modalidade da cota: Aquidauana, Campo Grande, Dourados e Paranaíba.

As bancas para candidatos cotistas negros serão compostas por professores com experiência de atuação em estudos etnicorraciais e por integrantes do movimento negro. Em Dourados, as bancas ocorrerão das 8h30 às 11h e das 13h às 17h e nas demais cidades (Aquidauana, Campo Grande e Paranaíba) das 13h às 17h.

No dia da matrícula, será exigido de todos os candidatos a apresentação da documentação completa listada na área restrita do candidato do site do SiSU. Será necessária a apresentação dos documentos originais e suas respectivas cópias (nesse caso sem a necessidade de autenticação), ou somente das cópias devidamente autenticadas em cartório.

A Divisão de Processo Seletivo da UEMS chama a atenção para as especificidades na apresentação dos documentos em relação aos candidatos que buscam entrar na UEMS através da cota para indígenas. Para estes, além da documentação geral, é necessário apresentar um dos seguintes documentos: Registro Administrativo de Nascimento de Indígena (RANI); Registro Administrativo de Casamento de Indígena (RACI); Certidão de Registro Civil de Nascimento com identificação étnica; Carteira de identidade com identificação étnica; autodeclaração (a partir de modelo disponível no site da UEMS) assinada por uma liderança e um membro da comunidade indígena; ou declaração oficial do representante regional da Funai.

Tanto em relação a cotistas negros quanto indígenas é obrigatório que tenham cursado todo o ensino médio em escola pública. Em edições anteriores da seleção para a UEMS havia a possibilidade de que o candidato cotista tivesse cursado o Ensino Médio em escolas particulares com bolsa, mas esta previsão não é mais válida passando a ser necessário a conclusão integral em escolas da rede pública.

Candidatos de ampla concorrência e cotistas indígenas poderão efetuar a matrícula por meio de procuração simples. Nesse caso, o procurador deverá ter em mãos toda a documentação exigida. Os cotistas negros, em razão das bancas, deverão realizar a matrícula presencialmente.

Comentários