Tsunami atinge a Indonésia, mata 168 e deixa 745 feridos

G1/JN

Ao menos 168 pessoas morreram, 745 ficaram feridas e 20 são consideradas desaparecidas depois que um tsunami atingiu a Indonésia na noite de sábado, dia 22 de dezembro, informou a Agência Nacional de Gestão de Desastres (BNPB) do país.

Segundo autoridades, as ondas gigantes teriam sido provocadas pela erupção do vulcão Krakatoa. A região mais afetada é a do estreito de Sunda, que separa as ilhas de Sumatra e Java.

“O número de vítimas pode aumentar, pois não nos chegaram informações de todas as áreas afetadas”, afirmou em comunicado o porta-voz da BNPB, Sutopo Purwo Nugroho.

Ao menos duas ondas gigantes devastaram boa parte da região. Segundo testemunhas, a segunda onda foi muito maior e mais forte do que a primeira.

O tsunami atingiu particularmente Serang, Pandeglang e South Lampung, no o estreito de Sunda”, disse Sutopo.

O distrito de Pandenglang foi o mais afetado. Lá são 33 mortos e 491 feridos até agora, além de centenas de casas e hotéis muitos danificados. A região é turística e onde estão as praias mais procuradas como Tanjung Lesung, Sumur, Teluk Lada, Penimbang e Carita.

Em South Lampung, há sete mortos e 89 feridos. Em Serang, o registro é de três mortos, quatro feridos e os dois desaparecidos.

Segundo o BNPB, em toda a região há danos graves em 430 casas e 9 hotéis. Dezenas de barcos foram destruídos ou danificados.

As ondas surpreenderam muitos habitantes, como os que estavam fazendo uma festa em frente ao mar e o tsunami levou o palanque com a orquestra e as mesas em volta.

Em Anyer, cidade litorânea de Java situada a 100 km a oeste de Jacarta, não houve forma de avisar a população porque não tinham sistema de alarme de tsunami originado por atividade vulcânica. “O sistema de alarme que temos serve para atividade tectônica mais do que vulcânica”, disse Rahmat Triyono, especialista da Agência Meteorológica, Climatológica e Geofísica da Indonésia (BMKG, sigla em indonésio).

Sutopo disse que é preciso investigar a causa do tsunami, embora tenha assinalado que o mais provável é que ele aconteceu por causa de um desprendimento de terra submarino causado pela erupção do vulcão Krakatoa e ressacas devido à lua cheia. “Aparentemente, a combinação de ambos os fatores motivou um tsunami repentino que chegou à costa”.

A Agência de Meteorologia, Climatologia e Geofísica da Indonésia tenta determinar as causas com a Agência de Geologia.

Sutopo publicou imagens no Twitter de momentos após a passagem das ondas

Mais cedo, Nugroho tuitou imagens de locais sendo invadidos pela água, alegando maré alta por influência lunar.

Pouco tempo depois, novas imagens publicadas falavam em um maremoto e tranquilizavam a população da não existência de um tsunami – que veio à tona quase 8 horas depois, seguida de um pedido de desculpas e a exclusão dos posts anteriores.

Sutopo Purwo Nugroho publicou um pedido de desculpas por tentar tranquilizar as pessoas dizendo não haver um tsunami e apagou as publicações anteriores.

Um terremoto de magnitud 7,5 que sacudiu a região central da Ilhas Célebes em 28 de setembro desencadeou um tsunami que deixou 2.081 mortos e mais de 200 mil desalojados, a maioría na localidade de Palu e arredores.

Entre 29 de julho e 19 de agosto, tremores na região turística da ilha de Lombok, perto de Bali, mataram 564 pessoas e deixaram mais de 400 mil desalojados.

A Indonesia está localizada sobre o chamado “Círculo de Fogo do Pacífico”, uma zona de grande atividade sísmica e vulcânica que é sacudida por 7.000 sismos por ano, a maior parte tremores moderados.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu cometário!
Por favor, insira seu nome aqui