Trio falsifica e vendia ingressos da final do Estadual de Futebol; FFMS ainda não se pronunciou

Lúcio Borges

A PC-MS (Polícia Civil de MS) em Rio Brilhante recebeu denúncia e teve que até agir em venda privada, mas ilegal e que continha o crime de falsificação de ‘documento de interesse público’ , que levaria a prejuízo coletivo. Assim, a PC investigou e chegou a pelo menos um trio, que foi preso nesta terça-feira (16). Assim foi considerado que se desmantelou um grupo, que apontado de associação criminosa, pois produziu e vendia ingressos falsos para a final do Campeonato Estadual de Futebol de Mato Grosso do Sul. A polícia conseguiu identificar a ‘quadrilha’ que estaria vendendo entradas falsos para o 2º jogo da final, que será realizado neste domingo (21), entre os times do Aquidauanense e Águia Negra.

Conforme a PC-MS, foram presos em flagrante, Marcos Cesar da Silva Mattos, 48 anos, que era funcionário da gráfica responsável pela confecção dos ingressos, seu filho Marcos Vinicius da Silva Mattos, 24 anos, e, Aníbal Ferreira Vargas Junior, 28 anos, que eram os responsáveis pela venda. Os três foram pegos, após iniciar um boletim de ocorrência, registrado por estelionato e por associação criminosa, onde a Autoridade Policial representou pelas prisões preventivas dos suspeitos.

Após o cumprimento dos mandados de prisão, Aníbal e Marcos Cesar foram interrogados na Delegacia de Polícia, ocasião em que Aníbal negou ter ciência da falsidade dos ingressos, enquanto Marcos Cesar confessou, em detalhes, a prática dos delitos. Marcos Vinicius não foi localizado, tendo em vista que se mudou, há poucas semanas, para Joinville/SC, estando em endereço não sabido.

As investigações levaram a polícia, também após os depoimentos, a localizar algumas vítimas e com elas foram encontrados ingressos com numeração superior a 3.200, vendidos por Aníbal, que assim confirmava as informações colhidas preliminarmente e as fraudes e crimes.

FFMS

A FFMS (Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul) até momento não se pronunciou, se haverá algum problema para a entrada no estádio da partida, sendo refeito ingressos ou mesmo se ocorrerá algum impedimento para a realização do jogo.

A denúncia

De acordo com o boletim de ocorrência, foi registrado pelo Presidente do Clube Águia Negra, que recebeu a denúncia, que assim levou ao conhecimento da Delegacia de Polícia Civil, que estavam sendo vendidos ingressos falsos para o segundo jogo da final do Campeonato Estadual. A partir do B.O , que iniciou as investigações, pois até havia ‘testemunha’ ou a descoberta da fraude, que aconteceu quando uma comerciante, que tinha autorização para vender os ingressos soube que alguém vendia a preço menor.

Oficialmente foram colocados à venda 3.200 ingressos em estabelecimentos autorizados pelo valor de R$ 20,00. Porém, uma proprietária de um mercado que fazia a venda autorizada tomou ciência de que um indivíduo de nome Aníbal, estaria comercializando ingressos pelo valor de R$ 10,00.

Assim, a comerciante foi em bisca de explicação e relatou o fato à diretoria do Esporte Clube Águia Negra. Com isto, o Presidente do Clube teria registrado a ocorrência, sendo realizadas diligências que identificou o fato. Após, também se comprovou que havia uma associação criminosa, composta por Aníbal Ferreira, Marcos Cesar e Marcos Vinicius, para confeccionar ingressos falsos, e vendê-los.

“Constatou-se Marcos Cesar da Silva Mattos, que era funcionário da gráfica que fazia as impressões dos ingressos e, aproveitou-se para confeccionar um número superior aos 3.200 autorizados. Com os ingressos falsos em mãos, seu filho Marcos Vinicius e Aníbal Ferreira, realizavam a venda para os interessados pela metade do valor autorizado pelo clube, utilizando-se de uma barbearia, cujo proprietário era Aníbal”, destacou o delegado de Rio Brilhante.

Comentários