Tribunal de Justiça aceita pedido de Baird e paralisa investigação da Coffee Break

O pedido de habeas corpus preventivo feito pelo empresário João Roberto Baird, foi julgado nesta quarta-feira (27) pelo desembargador Luiz Claudio Bonassini da Silva. e aceito por unanimidade no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ-MS).

Baird alega constrangimento de sua honra
Baird alega constrangimento de sua honra

Baird alega constrangimento de sua honra diante da investigação referente à Operação Coffee Break e solicita à Justiça que lhe permita anexar documentos e/ou petições para defesa ou que de forma alternativa a apuração do seu envolvimento nas denúncias investigadas pela Coffee Break sejam paralisadas.

O empresário é dono da Itel Informática, é aparece em áudios gravados pela Polícia Federal, dentro da Operação Lama Asfáltica, em conversas com empresário Fabio Portela onde ambos disuctem a contagem dos votos dos vereadores da Capital para garantir cassação do prefeito Alcides Bernal (PP), que aconteceu em março de 2014. Conforme diálogo explícito em relatório da Polícia Federal.

Além do habeas Corpus, nesta quarta-feira (27), o MPE ingressou com ação judicial contra ele, juntamente com o ex-governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli (PMDB), o ex-secretário de Fazenda Mário Sergio Maciel Lorenzetto, o ex-superintendente de Gestão da Informação Daniel Nantes Abuchaim e a empresa Itel Informática, por possíveis irregularidades na prestação de serviço da terceirizada durante a administração passada.

Comentários

comentários