Tribunal de Justiça absolve 100 réus da Operação Uragano

Pelo menos 100 envolvidos na Operação Uragano em Dourados (MS) foram absolvidos por improbidade administrativa pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul. Há ainda uma outra ação, porém na esfera criminal.

27passaia

O relator do caso, desembargador Marcos José de Brito Rodrigues, entendeu que o Ministério Público errou ao excluir o jornalista Eleandro Passaia entre os denunciados por improbidade. Para o desembargador, o MP praticou uma espécie de pecado jurídico ao deixar Passaia fora do processo.

A Operação Uragano levou para trás das grades o então prefeito Ari Artuzi, morto em 2013 por câncer, o vice Carlinhos Cantor, secretários, vereadores e empresários, acusados de fraude em licitações na Prefeitura de Dourados.

Passaia foi responsável na época, a pedido da Polícia Federal, de gravar conversas com o então prefeito, vereadores e empresários. Chegou a oferecer dinheiro para políticos.
A Justiça questiona a participação de Passaia na Operação, pois ele agiu como corruptor ao entregar recurso dos cofres públicos para fins de propina e não foi denunciado.

Comentários

comentários