Três cidades entram na disputa para sediar as Olimpíadas de Inverno de 2026

Gazeta Esportiva.com

O Comitê Olímpico Internacional (COI) recebeu o relatório do Grupo do Trabalho dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2026, que avalia a viabilidade das quatro cidades interessadas para sediar o evento: Calgary (Canadá), Erzurum (Turquia), Milão/Cortina d’Ampezzo (Itália) e Estocolmo (Suécia).

Os planos preliminares foram analisados sob o mesmo viés da agenda das Olimpíadas de Tóquio 2020, enfatizando o uso máximo de estruturas já existentes.

Cidades disputam para ser sede dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2026 (Foto: Divulgação/COI)

O COI também observou no relatório que as cidades interessadas planejam aproveitar 80% da infraestrutura da Olimpíada, contra 60% das que pretendiam sediar os Jogos de Inverno em 2018 e 2022. Além disso, os custos operacionais iniciais dos Jogos são em média 15% mais baixos que os das outras cidades nos dois processos anteriores de candidatura.

Assim, a entidade recomendou que cidades fossem convidadas para as sessões que definem o Estágio de Candidatura e que acontecerão em Buenos Aires, nos dias 8 e 9 de outubro:

-Calgary: A cidade respira o legado dos Jogos de 1988 e pode fazer ótimo uso das estruturas já existentes para 2026. A cidade canadense tem uma experiência valiosa em receber competições esportivas de inverno e outros grandes eventos.

-Milão/Cortina d’Ampezzo: A candidatura se beneficia da forte história, tradição e experiência da região com esportes de inverno, assim como o amor e a paixão dos italianos por esporte. O projeto pode também alavancar a economia e a prosperidade da região norte da Itália.

-Estocolmo: A Suécia tem experiência em receber e amor pelos esportes de inverno, além de locais da Copa do Mundo já estabelecidos e necessários para a realização dos Jogos. Estocolmo desenvolveu ainda um conceito dos Jogos que visa melhorar a vida de todos os seus cidadãos.

-Erzurum: O investimento em infraestrutura, assim com acomodação, transporte, energia e telecomunicações seria muito alto. Outros investimentos significativos seriam necessários para os locais esportivos. A região tem pouca experiência em receber grande eventos internacionais. A cidade é, no entanto, uma grande promessa para o futuro a longo prazo, tendo uma visão ambiciosa para desenvolver uma jovem e vibrante cidade universitária em um centro de esportes de inverno.

O processo todo deve ter fim apenas em setembro de 2019.

Comentários