Trailer de vacinação contra influenza vai atender no fim de semana na praça Ary Coelho

Da Redação/JN

Um trailer de vacinação contra a gripe começa a funcionar no sábado (28) na praça Ary Coelho, em Campo Grande. Os Centros Regionais de Saúde (CRS) Nova Bahia, Aero Rancho, Tiradentes e a Unidade Básica de Saúde (UBS) do Coophavilla II também vão funcionar neste feriado prolongado.

Trailer da vacinação na praça Ary Coelho, em Campo Grande (MS), vai funcionar das 7h15 às 16h45 (Foto: PMCG/Divulgação)

O trailer na Praça Ary Coelho vai funcionar de segunda a sábado (exceto domingo) até o dia 18 de maio, das 7h15 às 16h45. Inclusive no feriado prolongado do Dia do Trabalho, segunda-feira (30) e terça (1º).

O objetivo é atender a população do grupo de risco estabelecido pelo Ministério da Saúde: indivíduos com 60 anos ou mais de idade; crianças na faixa etária de 6 meses a menores de cinco anos; as gestantes; as puérperas (mulheres até 45 dias após o parto); os trabalhadores de saúde; os povos indígenas; os portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais; os adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas; a população privada de liberdade; os funcionários do sistema prisional; e, professores (público ou privado) do ensino básico, médio e superior.

Para receber a dose, todos os indivíduos do grupo de risco devem apresentar o Cartão Nacional de Saúde (CNS) e/ou número prontuário da rede de saúde de Campo Grande (Hygia), além do documento pessoal de identificação e a caderneta de vacinação (caso tenha).

Além dos documentos exigidos para todos, os doentes crônicos devem apresentar laudo médico ou atestado da doença, podendo ser aceita cópia do receituário médico recente. As gestantes e puérperas deverão ter o cartão da gestante, laudo médico ou exames com identificação.

Os profissionais de saúde devem apresentar a carteira de conselho ou holerite. Já os indígenas deverão ter o cadastro na Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai).

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), o controle mais rigoroso para imunizar as pessoas do grupo de risco é para atender as recomendações do Ministério da Saúde, que não vai disponibilizar doses extras.

Comentários