Trad vence e faz ‘feliz’ outros dois políticos com Siufi já falando em ir para AL-MS

Paulo Siufi e Herculano Borges
Paulo Siufi e Herculano Borges

O atual deputado estadual Marquinhos Trad (PSD) venceu neste domingo (30) uma nova eleição, em disputa pela prefeitura de Campo Grande, e, com sua mudança de mandato, a partir de janeiro de 2017, outros dois políticos são contemplados diretamente, “ficam felizes” e levam mudanças as cadeiras na Câmara de Vereadores da Capital e na AL-MS (Assembleia Legislativa de MS). O Página Brazil até já havia pontuado em matéria, após primeiro turno, sobre outras duas mudanças no Legislativo estadual, com o processo eleitoral nos municípios, tendo eleitos deputados para administrar prefeituras. O processo de troca, beneficia políticos da Capital, entre um suplente-futuro parlamentar, e, dois atuais vereadores da Capital, que como suplentes a deputado, serão alçados a titular nas vagas.

Com o fechamento das eleições municipais, os beneficiários agora são os parlamentares da Capital, Herculano Borges (SD) e Paulo Siufi (PMDB), que irão se tornar ‘estadual’. Contudo, Siufi ganhou neste mês, problema na Justiça ao ser condenado e pode ficar sem direitos políticos. O terceiro nome é do médico Wilson Sami (PMDB), que assume o cargo de vereador, com Siufi deixando a Câmara,  após ser reeleito para quarto mandato, mas que nem tomará posse, caso deixe sua vaga. Sami ficou como primeiro suplente do partido, mas já terá a sorte de assumir o mandato completo e se tornar o titular do cargo de vereador. O Herculano Borges, que era da coligação com PSDB no pleito de 2014, nem disputou a eleição neste ano, já esperando a vaga. Ele garantiu sua ida a AL, com a eleição do tucano Ângelo Guerreiro a chefia do Executivo de Três Lagoas.

O vereador Paulo Siufi, que não fez campanha para Trad, e ainda, apesar de primo do eleito, trabalhou pela adversária, comemorou neste domingo a eleição à Prefeitura do parente e ex-companheiro de partido. Siufi até não acreditava na vitória de Trad sob Rose Modesto (PSDB). Mas, confirmada a eleição, Trad fica como deputado até 31 de dezembro, e, assim que ele assumir, em 1º de janeiro, Siufi, agora pretende ocupar seu lugar na Assembleia. No começo do mês, três dias após sua eleição apertada a Câmara, o vereador apontou que ainda iria avaliar bem e ‘iria pensar’ se troca a Câmara pela Assembleia. “Quero mostrar continuidade do trabalho por Campo Grande e não seguir exatamente o caminho de todos os políticos”, declarou em 05 de outubro, apesar de há dois anos, no meio do atual mandato, ter concorrido a deputado.siufi

Ontem, no entanto, o cenário já mudou e Siufi comemorou muito, mas lembrou da ‘dúvida’ em ser ou não deputado. “Tô aqui sem saber como comemorar. Não me aguento, rapaz. Ganhei duas eleições neste ano”, declarou. Ele lembrou que teve votação expressiva em Campo Grande, mas poucos votos pelo interior e afirmou que ‘apesar do coração bater forte pela Assembleia’, vai conversar com Marquinhos sobre a situação da Capital. “Espero que seja um bom prefeito para Campo Grande. MAs, às vezes ele [Marquinhos] precisa de um nome na Câmara, para apoio. Vou respeitar a decisão do meu partido e ouvir todos os lados antes de tomar a decisão, mas na análise meu coração bate forte pela Assembleia. É uma chance que Deus me proporcionou”, afirmou.

Problema: pode não ser nem deputado e nem vereador

Siufi, reeleito para seu quarto mandato, pode não assumir nenhum dos mandatos, pois foi condenado a pagar quase R$ 1 milhão de restituição aos cofres públicos e ficar sem seus direitos políticos por oito anos.

A sentença foi dada na semana passada pelo juiz da 2ª Vara de Direitos Difusos da Capital, David de Oliveira Gomes Filho, que condenou o vereador por improbidade administrativa. O magistrado analisou e pontuou que frequência de Siufi ao cargo de médico da prefeitura da Capital foi irregular, pois ele foi ocupado de apenas 18,12% no período de janeiro de 2009 a maio de 2013, mas houve recebimento de 100% do salário correspondente à função.

O ex-prefeito Daltro Fiuza (PMDB), de Sidrolândia, é o próximo suplente, quarto da lista da então coligação, se Paulo Siufi se mantiver vereador em 2017 ou mesmo se a condenação judicial for mantida. Caso deixe sua vaga na Câmara, por um dos dois motivos, Wilson Sami (PMDB) assume o cargo de vereador.

Marcos Trad, titular deputado, recebeu 47.015 votos pelo então PMDB, que trocou pelo PSD neste ano. Ele cederá a vaga a então primeira suplente Delia Razuk, que recebeu 19.938 votos. Ela também saiu do partido e hoje está no PR, por onde também foi eleita prefeita e assumirá a chefia da administração de Dourados, segundo maior município de MS.

Paulo Siufi obteve 13.027 votos em 2014, ficando como segundo suplente do PMDB.

Comentários

comentários