Trabalhadores da Solurb voltam a suspender coleta de lixo

Funcionários da concessionária de coleta de lixo de Campo Grande, a CG Solurb, paralisaram novamente a coleta de lixo na Capital às 19h de quarta-feira (7), por falta de pagamento. O salário de setembro (que deveria ser pago ontem) e o ticket alimentação de R$ 372,00, que normalmente é liberado no dia 1º.

Solurb anuncia nova paralisação (Foto: Divulgação )
Solurb anuncia nova paralisação (Foto: Divulgação )

 

Com a paralisação ,32 caminhões coletores estão parados na garagem da concessionária  não saíram para cumprir a rota noturna de coleta do lixo.

O presidente do Steac-MS (Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Asseio e Conservação de Mato Grosso do Sul), Wilson Gomes da Costa, disse que no dia 1°, a CG Solurb pediu ao sindicato que conversasse com os trabalhadores para que aguardassem até o 5º útil que o ticket seria pago junto ao salário.

Porém, por volta das 17h30 de ontem a Solurb informou ao sindicato que não teria condições de fazer o pagamento, nem do benefício, nem do vale alimentação.

O sindicalista achou estranha a situação já que na semana passada uma liminar do Tribunal de Justiça, determinou o bloqueio de R$ 19 milhões da Prefeitura para quitar os atrasos com a empresa.

No mês passado os funcionários ficaram 11 dias de greve e só receberam os seus salários, depois que a Justiça bloqueou recursos da Prefeitura para garantir a folha de pagamento.

DEPÓSITO JUDICIAL

A prefeitura enviou nota no começo da noite de quarta-feira (7) após o anúncio da paralisação.

“Diante de mais um anúncio de greve por parte dos trabalhadores da empresa CG Solurb, em razão do não cumprimento das obrigações trabalhistas pela empresa, a prefeitura de Campo Grande informa que se dispõe a depositar judicialmente o valor do pagamento dos funcionários, da mesma forma como o fez no mês de setembro, quando depositou R$1.568.800,00, de modo a evitar que trabalhadores e a população sejam prejudicados.”

O pedido de autorização para o depósito será feito no primeiro horário desta quinta-feira (8), informou o governo, via assessoria de imprensa. “No primeiro horário será encaminhado à Justiça, por meio da Procuradoria Jurídica, o pedido de autorização para o referido depósito e também que este valor seja descontado do montante bloqueado das contas da prefeitura (R$ 19 milhões).”

Segundo o governo municipal, a CG Solurb ainda não apresentou todas as notas fiscais dos serviços prestados para que houvesse aferição e pagamento. Na nota enviada à imprensa, a prefeitura declarou que desde 19 de março do ano passado já foram pagos mais de R$ 145,4 milhões, o que daria um repasse mensal de R$ 7,5 milhões. “Valor este muito maior do que o estabelecido inicialmente no contrato, de cerca de R$ 4,5 milhões ao mês”, registrou o governo.

Comentários

comentários