TJMS lança campanha “Super Dana” sobre doação de medula óssea

Ascom TJMS

Na tarde desta quinta-feira (13), foi lançada no Tribunal de Justiça, no Fórum de Campo Grande e no Centro Integrado de Justiça (Cijus) a campanha “Super Dana”, que visa conscientizar sobre a importância da doação de medula óssea, desmistificando o procedimento que salva vidas. Para dar efetividade à campanha, uma unidade do Hemosul estará no TJMS no dia 25, no Fórum no dia 26 e no Cijus no dia 27, a partir das 13 horas, para fazer o cadastramento e colher material genético, além fazer a atualização cadastral.

Na primeira reunião, que aconteceu no salão Pantanal do TJ, foram convidados todos os Diretores de Secretaria do TJMS para conhecerem a campanha e com isto replicarem nas áreas. O diretor-geral da Secretaria do TJMS, Marcelo Vendas Righetti, lembrou que a comarca de Campo Grande tem cerca de 3 mil servidores, um público potencial grande para participar da campanha.

A campanha é realizada pela Secretaria de Gestão de Pessoal (SGP) e pela Secretaria de Comunicação, que realizam ações publicitárias e jornalísticas colocando o tema em pauta, debatendo com servidores, magistrados e a sociedade a importância de se cadastrarem, de manterem as informações atualizadas e estarem preparados para o possível momento em que serão chamados para ser o “herói” de outra pessoa.

Segundo o diretor da SGP, Raphael Vicente Bilinski, o Poder Judiciário de MS está se posicionando de forma ativa para contribuir com problemas comuns a todas as famílias. “Nós precisamos desmistificar a doação de medula óssea e dar uma contribuição social. Isto é bom para a imagem do Judiciário, que é sensível a toda causa que melhore a vida das pessoas”, disse o diretor.

O diretor da Secretaria de Comunicação, Carlos Kuntzel, foi o responsável por criar a campanha publicitária e jornalística usando a história de vida da menina Dana, que teve leucemia e hoje está curada. Com isto foi criada a personagem Super Dana, uma supermenina que explica às pessoas o porquê todos (que tiverem interesse) devem se cadastrar no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome).

Os chefes de cartórios e diretores do Fórum da Capital e do Cijus, onde funcionam as Varas dos Juizados Especiais, também participaram da palestra de lançamento da campanha e replicarão as informações entre os servidores.

Informações – Você sabia que para ser doador da medula óssea e ajudar a salvar alguém é bem simples? Basta ter entre 18 e 55 anos de idade, estar em boa saúde, não ter doença infecciosa ou incapacitante, nem neoplásica (câncer), hematológica (do sangue) ou do sistema imunológico.

A doação pode tratar de até 80 doenças conhecidas, sendo que a mais conhecida é a Leucemia.

O procedimento de doação também é simples e totalmente gratuito para o doador, inclusive com viagens e hospedagem em outras cidades. Caso você seja compatível com alguém, em um hospital especializado, será retirada uma quantidade de líquido do osso da sua bacia ou por meio de uma filtragem do sangue. Você pode voltar para casa até no mesmo dia e não existem sequelas.

Uma das coisas mais importantes é que você deve manter o cadastro atualizado também. Caso alguém seja compatível, você será facilmente encontrado.

Comentários