TJ nega liberdade a lutador acusado de matar hóspede a pancadas

O TJ/MS (Tribuna de Justiça de Mato Grosso do Sul) negou habeas corpus ao lutador Rafael Martinelli Queiroz, 27 anos. Ele está preso desde 19 de abril de 2012 por espancar o engenheiro eletricista Paulo César de Oliveira até a morte no Hotel Vale Verde, em Campo Grande.

Rafael está preso desde 19 de abril em Campo Grande. (Foto: Facebook)
Rafael está preso desde 19 de abril em Campo Grande. (Foto: Facebook)

Diante do pedido de liberdade feito pela defesa do lutador, a Procuradoria-Geral de Justiça manifestou-se contra a concessão de liberdade.

Os desembargadores da 2ª Câmara Criminal negaram o pedido. O relator, em seu voto, destacou os motivos pelos quais o juiz de 1º grau determinou a prisão preventiva do acusado, alegando a periculosidade dele na sociedade, diante do crime brutal cometido.

“Registra-se que, conforme relatou a autoridade policial, foi necessária uma operação especial com o apoio do BPCHOQUE para remover o preso até o Garras”, consta na decisão.

CASO

Rafael, que é de Valparaíso (São Paulo), veio a Campo Grande para participar de um evento de lutas realizado no Círculo Militar. Porém, não competiu na noite de sábado (18 de abril), como era previsto, e foi para o hotel, na avenida Afonso Pena, por volta das 22h, de carona com um amigo.

O lutador foi até o quarto 221, onde estava hospedado com a namorada de 24 anos, quando teve início uma discussão envolvendo traição. Ele bateu na mulher que, amedrontada, fugiu pelos corredores e pediu socorro na recepção.

Ao sair enfurecido do quarto , Rafael destruiu tudo o que encontrou pela frente, até se deparar com Paulo Cézar de Oliveira, 49 anos, que havia acabado de abrir a porta de seu apartamento, o 216, para ver o que estava acontecendo.

A vítima, que era de Batatais (São Paulo), foi espancada até a morte. Rafael tem quase dois metros de altura, pesa 140 kg e é lutador profissional. Já Paulo pesava cerca de 70 quilos e tinha 1,68 metro de altura.

Comentários

comentários