Tite minimiza fragilidade de adversários e atletas pouco goleadores

Gazeta Esportiva.com

Tite minimizou o fato do Brasil enfrentar adversários fracos em amistosos (Foto : Pedro Martins / MowaPress)

Toda as vezes que a Seleção Brasileira entra em campo em amistosos, muito se questiona sobre a qualidade dos adversários. O Brasil raramente faz amistosos com os maiores adversários do mundo, o que pode, algumas vezes, não dar o parâmetro certo sobre a preparação da equipe.

Na coletiva desta sexta-feira, o técnico Tite minimizou o fato do Brasil enfrentar rivais com pouca expressividade no futebol mundial. “A questão do Europeus (que estão sem data no calendário) já te responde. À exceção da Colômbia, enfrentamos os adversários mais fortes da América.  Em teoria somos os favoritos. Quando se vai para o campo você encontra dificuldades. Contra a Bélgica, eram 30 minutos de jogo, e a primeira chance de gol foi do Panamá”, afirmou o treinador.

Alguns jogadores do Brasil que irão a campo na partida não são tão familiares com o gol. Mesmo assim, o treinador relativizou a questão, e optou por enaltecer os atletas. Por fim, disse que sua maior preocupação é em relação a montagem do meio-campo.

“A minha tensão maior, em relação à última convocação, é a formatação criativa do meio de campo. Procuramos potencializar esses atletas com uma condição criativa maior. Antes da finalização, tem o processo de criação. Agora, você vê que Richarlison e o Firmino têm gols na Premier League. O Gabriel Jesus está retornando. O Everton foi goleador no Grêmio no ano passado. Mas esse é o segundo estágio. Antes tem o processo de criação”, disse o técnico.

Brasil e Panamá se enfrentam neste sábado, às 14h00 (horário de Brasília), no estádio do Dragão, do Porto, em Portugal. No dia 26, os comandados de Tite pegam a República Tcheca.

Comentários