Terceirização: saiba o que muda no vínculo trabalhista na visão de sindicato patronal

Rádio Globo Campo Grande

O Café das Seis desta sexta-feira (31) trouxe no quadro ‘Clube do Café’, um tema bem quente e polêmico: a terceirização. Ontem, o plenário do Superior Tribunal Federal (STF) decidiu que que é constitucional o emprego de terceirizados na atividades-fim das empresas.

Isso já era permitido desde o ano passado, quando o presidente Michel Temer sancionou a lei da reforma trabalhista, que permite a terceirização tanto das chamadas atividades-meio (serviços de limpeza e segurança em uma empresa de informática, por exemplo) quanto das atividades-fim.

Com tantos termos técnicos e regras, a Rádio Globo Campo Grande conversou com o presidente do Sindicato das Empresas de Asseio e Conservação (Seac/MS), Daniel Felício que elogiou a medida e rebateu as críticas dos posicionamentos contrários. Segundo ele, a terceirização “na verdade, não precariza nada”.

Confira a entrevista completa abaixo:

Foto: Reprodução – (Jorge Rosenberg/VEJA)

Comentários