Temer lança operação de segurança nas estradas para as festas de final de ano

O presidente da República, Michel Temer, lançou nesta sexta-feira (16) a Operação Rodovida 2016/2017, programa nacional de segurança nas estradas para a prevenção de acidentes, na sede da Polícia Rodoviária Federal (PRF), em Brasília. A operação pretende intensificar a fiscalização em rodovias de todo o país, melhorar a sinalização nas estradas e divulgar campanhas educativas e de saúde que possam mudar a postura dos motoristas quando assumem a direção de um veículo.

Divulgação

Ao longo dos próximos meses serão abordados, por exemplo, o consumo de bebidas alcoólicas antes de dirigir, a ultrapassagem irregular, o excesso de velocidade e o transporte correto de crianças. Também será dada uma atenção especial aos motociclistas durante a ação.

O chefe da Divisão de Fiscalização de Trânsito da PRF, Stênio Pires, citou uma preocupação com o Nordeste “Um dos principais fatores desse número de mortes não ter caído no Brasil é em consequência do número de acidentes muito grandes com motocicletas. O Nordeste hoje concentra 25% dos acidentes com motos, mas responde por quase metade das vítimas fatais”, informou.

A Rodovida será dividida em dois períodos. O primeiro vai desta sexta até o dia 31 de janeiro, abrangendo as festas de final de ano e férias escolares. O segundo será de 17 de fevereiro a 5 de março de 2017, que engloba o Carnaval.

Em fala breve, Temer ressaltou a importância da iniciativa, por mais que seja aparentemente simples “As coisas mais singelas são as que mais produzem resultado. Quando fiquei sabendo do evento, vi a importância do fato. […] Os custos sociais são muito grandes. Nessa época as pessoas às vezes ficam mais animadas e cometem acidentes. Antes de inaugurar uma obra de bilhões de reais, gostaria de estar aqui”, disse o presidente.

A solenidade também contou com a presença do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, do diretor da Polícia Federal, Leandro Daiello, e da diretora da PRF, Maria Alice Nascimento.

Participam da Rodovida os Ministérios da Justiça, Cidades, Saúde e Transportes, Portos e Aviação Civil, a própria PRF, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). A ação envolverá cerca de 45 mil pessoas, das quais 10 mil policiais rodoviários federais nas estradas.

Acidentes

Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e a PRF, o custo social de acidentes em rodovias federais em 2014 foi de aproximadamente R$ 12,8 bilhões.

Somente um acidente fatal gera uma média de R$ 647 mil em custos, enquanto uma batida com vítima fica no valor de R$ 90 mil. Os sem vítimas, R$ 23 mil.

Ainda de acordo com a PRF, as operações do órgão desde 2012, além da redução de acidentes, já geraram economia de R$ 6,8 bilhões aos cofres públicos. Os dados referentes a 2015 ainda não foram fechados pelo governo federal.

Comentários