SURTOU: Policial Militar executa pai, filha e sogro; vídeo

Um policial militar matou três pessoas, sendo duas da mesma família, na manhã desta segunda-feira (9), na zona Oeste de Boa Vista (RR). De acordo com a Polícia Militar (PM), os casos ocorreram por volta das 6h40 às 7h10, quando o suspeito usando colete à prova de balas e uma pistola atingiu a ex-namorada, o pai dela e o pai do atual namorado da vítima. 

A polícia informou também que um vizinho foi baleado e se encontra no Hospital Geral de Roraima (HGR). O caso está sendo investigado pela Delegacia Geral de Homicídios (DGH).

O primeiro crime ocorreu em frente a uma casa na Rua Hibiscos, no Bairro Pricumã. Conforme relatos de testemunhas, o autor dos homicídios estava em um carro de passeio e bateu no carro onde estava a ex-namorada.

“Ele [suspeito] bateu no veículo, seguiu para a esquina e fez o retorno. Nessa hora, o pai dela [vítima] abriu o portão da casa e o homem invadiu a residência para tentar atirar na mãe da menina, mas ela correu. Então, ele voltou e atirou contra o pai e contra a moça, que ainda estava dentro do veículo. Ao todo, foram sete disparos”, relatou a testemunha, que pediu anonimato.

A polícia informou que ao sair do bairro Pricumã, o policial seguiu para o bairro Caimbé, por volta das 7h10, onde morava o atual namorado da vítima. Ao chegar no local, chamou pelo jovem, mas apenas o pai dele foi ao portão, momento em que o suspeito atirou contra ele.

Ainda segundo a polícia, um vizinho foi tentar ajudar a vítima e acabou baleado. Ele foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levado ao Pronto-Socorro Francisco Elesbão.

A Polícia Militar atendeu a ocorrência. A Secretaria Municipal de Trânsito (SMTRAN) foi acionada para organizar o tráfego nos dois locais dos homicídios. A perícia da Polícia Civil esteve nos locais, para apurar os casos, e para fazer a remoção dos corpos. Os assassinatos serão investigados pela Delegacia Geral de Homicídios. Polícia informou que as buscas pelo policial, suspeito pelos crimes, continuam.

Comentários

comentários