Suposta compra de votos na cassação de Bernal volta a ser investigada

O MPE-MS (Ministério Público Estadual em Mato Grosso do Sul abriu inquérito nesta quarta-feira (22), para apurar possível irregularidade no pagamento de vereadores que votaram a favor da cassação do ex-prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP) ocorrida um ano e quatro meses atrás.

22mPE

A apuração foi aberta pelo promotor Alexandre Pinto Capiberibe Saldanha, da 29ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público. Na publicação, o órgão divulga que transformou o procedimento preparatório em inquérito civil.

O ex-prefeito foi cassado em março do ano passado pela Câmara Municipal de Campo Grande. O processo de cassação de Bernal recebeu 23 votos favoráveis e 6 contra dos vereadores.

Além disso, o STF (Supremo Tribunal Federal) está dando encaminhamento ao pedido de suspensão de liminar feito pelo ex-prefeito retornar ao cargo em Campo Grande. Em consulta ao processo foi possível constatar que a Justiça pediu intimação dos 29 vereadores que atuavam quando o prefeito foi cassado.

A intimação atende a pedido do presidente do STF, Ricardo Lewandowski, que pediu para ouvir as partes e a Procuradoria-Geral da República antes de julgar o pedido.

Confira abaixo a lista dos 23 vereadores que votaram a favor da cassação:
Vanderlei Cabeludo (PMDB)
Carla Stephanini (PMDB)
Edil Albuquerque (PMDB)
Mario Cesar (PMDB)
Paulo Siufi (PMDB)
Coringa (PSD)
Chiquinho Telles (PSD)
Delei Pinheiro (PSD)
Flávio César (PTdoB)
Eduardo Romero (PTdoB)
Otávio Trad (PTdoB)
Chocolate (PP)
Dr. Jamal (PR)
Grazielle Machado (PR)
Professor João Rocha (PSDB)
Professora Rose (PSDB)
Alceu Bueno (PSL)
Airton Saraiva (DEM)
Gilmar da Cruz (PRB)
Carlão (PSB)
Juliana Zorzo (PSC)
Elizeu Dionizio (SDD)
Engenheiro Edson (PTB)

Comentários

comentários