Sudeste terá 2º turno em três Estados em disputas ‘novas’ e talvez acirradas

Lúcio Borges

A região Sudeste, maior em densidade populacional e assim com maior volume de eleitores, tendo dois maiores colégios eleitoral do Brasil, realizou as eleições em disputas novas e imprevisíveis. O resultado assim, só terminou neste domingo (7) em um, dos quatros Estados. Apenas o menor, Espirito Santo elegeu seu governador hoje, retornando ao Executivo um que já governo o Estado. Os maiores São Paulo e Minas Gerais, com o Rio de Janeiro deverão realizar o segundo turno de escolha.

O Sudeste teve os maiores ou mais conhecidos partidos nas disputas, mas até grandes reviravoltas ocorreram, destacando novos nomes e partidos pequenos. Tudo deixando para trás as pesquisas, que em geral não acertam muito o resultado. Alguns candidatos apontados com grande votação e que tinham, em tese chance para ganhar, até hoje, se duvidasse, ficaram de fora ou tiveram uma votação bem abaixo do esperado.

Os casos do Rio de Janeiro e Minas, pelo primeiro lugar e até os segundo, são mais emblemáticos. São Paulo ficou com a segunda vagas sendo a surpresa. PSDB está em duas, mas foi o maior surpreendido. Como os novatos, em nomes e partidos surpreenderam.

Candidatos ao governo de SP: João Doria e Marcio França.

São Paulo – Assim, depois de muita disputa em torno do segundo lugar, o ex-prefeito João Doria (PSDB) e o atual governador Márcio França (PSB), que assumiu com saída do titular Geraldo Alckimin (PSDB), é que concorrerão ao comando do estado de São Paulo no segundo turno. Até aos 99,99% das urnas apuradas, Doria fechou com apenas 32,20% e França, com 21,83% dos votos válidos. Paulo Skaf (MDB) ficou em terceiro, com 21,38%. Em quarto, ficou Luiz Marinho (PT), com 12,83%.

Maior reviravoltas

Wilson Witzel e Eduardo Paes

Rio de Janeiro – O novato e que é pela primeira vez candidato Wilson Witzel (PSC) e Eduardo Paes (DEM) vão disputar o segundo turno das eleições para o Palácio da Guanabara. Com 99,36% das urnas apuradas, Wilson, que é juiz federal, contabilizou 41,26% dos votos válidos e Paes, 19,56%.

As pesquisa apontavam que Paes teria os 41% e em segundo estaria Romario, com 29%. Paes ficou com o baixo índice e o ex-jogador, atual Senador pelo Rio, ficou em quarto lugar com apenas 10%, atrás do candidato do Psol, Tarcisio Mota, que quase ainda foi pra segundo turno com 16%.

Minas Gerais – também terá segundo turno para governador entre os candidatos Romeu Zema (Novo) e o senador Antonio Anastasia (PSDB). Com as urnas apuradas, Zema teve 42,78% e Anastasia 29,04% dos votos válidos.  O atual governador Fernando Pimentel (PT) obteve 20%.

Os mineiros ou pesquisas apontavam uma disputa entre Anastasia e Pimentel, onde Zema nem aparecia com dois dígitos de votos. Agora o novato e também em primeira disputa com o partido NOVO, de fato e tempo de existência, vai com folga e deve ser eleito novo chefe do Executivo de Minas.

Romeu Zema tem 53 anos e é membro do Conselho do Grupo Zema, rede varejista presente em seis estados. Anastasia foi eleito governador de Minas em 2010 e em 2014 foi eleito senador, onde se confirmada perda de eleição atual, retorna ao Senado para terminar os quatros anos como Parlamentar.

Elegeu com certa folga

No Espirito Santo, Renato Rolemberg (PSB) venceu novamente e governará o Estado Capixaba pela terceira vez. Ele com as urnas apuradas, obteve 56% contra Manato (PSL) com 27%.

Comentários