STF autoriza Roberto Jefferson a cumprir pena em regime aberto

O ministro Luis Roberto Barroso, do STF (Supremo Tribunal Federal), concedeu ontem autorização para que o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ) passe a cumprir pena em regime aberto. Em 2012, a Suprema Corte condenou o político que denunciou o mensalão a sete anos e 14 dias de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Roberto Jefferson, em depoimento à CPI dos Correios, em 2005, ano em que foi cassado pelos colegasAgência Brasil
Roberto Jefferson, em depoimento à CPI dos Correios, em 2005, ano em que foi cassado pelos colegasAgência Brasil

tualmente, Jefferson está preso na Casa do Albergado Coronel PM Francisco Spargoli Rocha, em Niterói, mas em breve passará para prisão domiciliar. As informações são do jornal O Globo.

Na decisão, o ministro ressalta o “ótimo comportamento carcerário” de Jefferson. Além disso, para Barroso, o ex-deputado cumpriu requisito indispensável para a progressão do regime, o pagamento da multa de R$ 840.862,54 que devia a Justiça.

O ministro ainda defendeu a autorização sob o argumento de que Jefferson está empregado em um escritório de advocacia.

“Diante do exposto, acolho o parecer do Ministério Público Federal e defiro ao condenado Roberto Jefferson Monteiro Francisco a progressão para o regime aberto”, diz a decisão de Barroso.

Em agosto do ano passado, Jefferson já havia pedido ao Supremo para cumprir pena em casa, mas o pedido foi negado.

O ex-deputado teve um câncer no pâncreas em 2012 e alegava que, com problemas de saúde, precisava de tratamento especial. O último pedido feito pela defesa de Roberto Jefferson foi em abril deste ano, logo depois de ter pago a referida multa.

Congresso em Foco

 

Comentários

comentários