Sorteio da Copa faz Brasil percorrer 7 mil km na primeira fase

ESTADÃO/JN

Se nível dos adversários não assusta, três primeiros jogos na Rússia vão impor longos deslocamentos pelas sedes

A esperança da seleção brasileira era de que pudesse cair num grupo com jogos em Sochi, cidade no Sul da Rússia que irá receber seis jogos da Copa do Mundo. Mas, apesar de o local ser o destino de quatro grupos diferentes, o Brasil acabou não sendo sorteado para nenhum deles.

Tite e Edu Gaspar no sorteio dos grupos da Copa Foto: Alexander Zemlianichenko/AP

Como a CBF optou por manter a base da preparação em Sochi e fazer bate-volta para cada jogo que disputar na primeira fase, a equipe irá percorrer em poucos dias mais de 7 mil quilômetros. Se optasse por ir de sede em sede, esse trajeto cairia para apenas 2,4 mil.

Os jogos do time de Tite ocorrerão em Rostov, São Petersburgo e Moscou. Nas fases seguintes, as cidades visitadas ainda poderiam incluir Samara e Kazan, além de um retorno ainda para Moscou e mesmo São Petersburgo.

Edu Gaspar, coordenador da comissão técnica, garantiu que “nada muda” e que o acordo que o Brasil fechou para estar em Sochi será mantido. Depois de insistir nos últimos dias sobre a vantagem de estar numa cidade com elevadas chances de receber uma partida da seleção, Edu mudou o discurso depois do sorteio.

“Sabemos o quanto a Fifa se preocupa em garantir que o transporte das seleções seja bem feito”, disse. “Eles garantem uma certa privacidade nos aeroportos para que tenhamos tranquilidade. Não é nada complexo como as pessoas se preocupam”, disse.

Na Copa do Mundo de 2014, no Brasil, as quatro seleções que mais viajaram foram também as que mais tiveram dificuldades em campo, eliminadas na chave de grupos.

Edu, que segue com Tite para Sochi neste sábado, acredita que a CBF, ainda assim, fez um bom negócio. Mas lamentou o sistema da Fifa que exige que as seleções busquem suas bases, antes mesmo de saber onde jogarão.

“Nós gostaríamos de jogar em Sochi. Mas a prioridade foi um local bom, com boa infraestrutura e estádio de treinamento próximo. Isso Sochi nos proporcionou”, afirmou

“Nós não tínhamos como controlar essa variável”, disse Tite. “Conversando com o Edu (Gaspar), vimos e temos outros locais, mas também a organização colocando que, apesar da distância que tem, esse transporte, essa agilidade para chegar lá é importante, independentemente para quem está jogando em outros centros. Gostaríamos que fosse em Sochi, mas não é”, lamentou o treinador.

A comissão técnica insiste que quer um lugar capaz de garantir a recuperação dos atletas. No caso de Sochi, Edu indicou que o Brasil deve ficar la até as quartas-de-finais.

Argentina e Alemanha acabaram sendo beneficiadas pelo sorteio e estarão entre as seleções que menos viajariam pela Rússia durante a Copa.

Quem também pensou em ficar em Sochi foi a Alemanha. Mas acabou optando por uma região nas proximidades de Moscou, justamente para reduzir o período de viagens.

Comentários