Solurb diz que está há 2 anos sem reajuste e justifica aumento do valor recebido

O consórcio CG Solurb, responsável pela prestação de 13 serviços à Prefeitura de Campo Grande, entre eles a gestão dos resíduos sólidos de Campo Grande desde 2012, informa que o contrato está há dois anos sem reajuste e o aumento de 83% no valor pago por mês corresponde à ampliação dos serviços executados. Há três anos, a média de pagamento mensal era de R$ 4,3 milhões. Conforme a empresa, neste primeiro semestre, o valor médio foi de R$ 7,9 milhões por mês.

Solurb tem desde 2012 concessão para a coleta de lixo e outros serviços na Capital (Divulgação / PMCG)
Solurb tem desde 2012 concessão para a coleta de lixo e outros serviços na Capital (Divulgação / PMCG)

Segundo Elcio Terra, superintendente da Solurb, no fim de julho foram publicados empenhos, no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande), totalizando R$ 14 milhões, o que não significa que este valor tenha sido repassado à empresa. “Não houve este repasse, isto é referente à medição dos serviços de junho e julho, além dos respectivos reajustes a serem pagos ao longo do mês de agosto, uma previsão destas medições”.

A Solurb informa que desde 2014 passou a fazer varrição e roçagem nas regiões do Tiradentes, Lagoa Itatiaia, Jaci, Maria Aparecida Pedrossian, Guanandi, Taquarussu, Piratininga, Jardim América, Taveirópolis e Belo Horizonte.

O perímetro desses serviços cresceu 28,46%, passando de 185 km para 242 km. Ainda de acordo com a Solurb, o trabalho manual de capina e roçagem cresceu 42,82%. A roçada mecanizada, com máquina costal, teve ampliação de 289,22%.

A coleta de lixo teve crescimento de 18% em relação a 2012. O total passou de 209.281 toneladas para 247.858 toneladas. Somente em janeiro deste ano, foram recolhidas 25.541 toneladas de lixo, superior à média mensal, que chega a 21.713 toneladas.

Comentários

comentários