Sobe para 13 as mortes por gripe em MS

Da Redação/JN

Boletim epidemiológico divulgado nesta semana pela secretaria estadual de Saúde de Mato Grosso do Sul (SES) aponta entre o dia 1º de janeiro e 30 de maio de 2018 foram registradas no estado 13 mortes provocadas pelos vírus influenza, o número é mais que o dobro do registrado em todo o ano de 2017, que foi de 6.

Campanha nacional de vacinação contra a gripe vai até o dia 15 de junho agora

De acordo com a SES, das 13 mortes que ocorreram este ano no estado por estes tipos de vírus, 4 foram provocadas pelo “A H1N1”, 7 pelo “ A H3N2”, 1 pelo Influenza “B” e 1 pelo Influenza “A” não subtipado.

As mortes, conforme o boletim, foram registradas em seis municípios do estado: Campo Grande, 8; Chapadão do Sul, Nioaque, Aquidauana, Naviraí e Três Lagoas, uma em cada.

O levantamento da secretaria destaca que neste ano já foram confirmados em Mato Grosso do Sul, 77 casos de gripe pelo vírus influenza no estado, sendo 27 pelo “A H1N1”, 37 pelo “A H2N2”, 10 pelo “A “não subtipado e 3 pelo B. O município com maior número de registros é Campo Grande, com 46.

Foram registrados ainda 488 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) no estado.

Campanha de vacinação

A campanha de vacinação contra os vírus influenza que deveria terminar neste dia 1º de junho, foi prorrogada pelo Ministério da saúde em todo o país até o dia 15 de junho, por conta da greve dos caminhoneiros.

Em comunicado divulgado nas redes sociais, o ministério declarou: “A recomendação do Ministério da Saúde, enviada aos gestores locais na terça-feira (29), foi adotada em decorrência dos possíveis impactos da paralisação dos caminhoneiros no transporte público e nos atendimentos em serviços de saúde”.

O Ministério da Saúde ainda orientou aos estados que se após encerrado o período oficial de campanha, se ainda houver disponibilidade de vacinação, que a imunização poderá ser ampliada.

Os grupos sugeridos para receberem as doses que eventualmente sobrarem são as crianças de cinco a nove anos de idade e adultos de 50 a 59 anos.

Comentários