“Situação de denúncias no País e Estado é preocupante, mas será verdade”, aponta Siufi

Lúcio Borges

Foto Lúcio Borges

A situação de Mato Grosso do Sul nos casos de escândalos em denúncias político-administrativa é preocupante e tem que ser apurados o mais rápido possível, em todas circunstâncias e formas, para provar ou não as acusações. A avaliação é do deputado estadual Paulo Siufi (PMDB), que esteve no fim da manhã desta segunda-feira (29), concedendo entrevista ao Programa Capital Meio Dia, na rádio FM 95 e tratou do assunto também em vídeo ao Página Brazil, falando da Comissão Especial aberta na semana passada a pedido do PT e que será efetivada amanhã na AL-MS (Assembleia Legislativa de MS), para apurar possível envolvimento do governador nos casos.

O parlamentar, que chegou na AL há três meses, apesar de lamentar a atual situação do País e do Estado, vê que o resultado servirá também para amenizar ou devolver o status de uma política a ser bem feita e com resultados coletivos e não pessoais. Siufi, que entraria em seu quarto mandato como vereador de Campo Grande, foi para o parlamento estadual e integrou a base do governo. Mas, em pouco tempo já adotou a postura de independente, votando com o governo quando entende ser para o bem da população, mas não hesita em questionar matérias que considera duvidosas.

Assim, ele já declarou e analisa a delação dos irmãos Batista do grupo JBS, como absurdo os desdobramentos em si das acusações, atirando a todo lado e que envolveu pelo menos 31 políticos de MS, entre 14 colegas da AL-MS e o governador Reinaldo Azambuja (PSDB). Contudo, ele que usou a tribuna da Casa de Lei, na última quinta-feira (25), quer que tudo seja apurado amplamente, mas com serenidade e de forma justa. “O que vemos é que a honra do povo brasileiro foi jogada na lama e isso não podemos aceitar. Fica o disse me disse e parece que todos nós somos da mesma vala comum. A política ou os políticos hoje são tratado tudo de uma mesma forma negativa e não é, eu não sou. Isso é um absurdo, pois quem apresentou as declarações são dois criminosos”, disse Siufi.

Veja a fala completa do parlamentar em nosso vídeo, onde ele em resumo quer que a Comissão Especial da AL, cumpra seu papel e que no que depender dele fará seu trabalho até como membro entre os cinco componentes para formar o colegiado. “Eu já expus a minha vontade de participar da Comissão, quero compor e espero ser escolhido para contribuir. Que eu possa, possamos que seja restabelecida a ordem no nosso País, em nosso Estado, para termos a governabilidade e administração que a população quer e precisa”, pediu o deputado.

Posições

O Página Brazil noticiou na quinta-feira, que Siufi e outros deputados presentes criticaram a delação dos irmãos empresários Joesley e Wesley Batista, detalhando suposto esquema de distribuição de propinas a políticos de todo o Brasil. Mediante delação premiada, eles disseram ao Ministério Público Federal (MPF) que a empresa destinou R$ 500 milhões para custear campanhas eleitorais de 1.829 candidatos.

Os irmãos Batista foram autorizados a deixar o Brasil após acordo de delação com a justiça. Além de poder morar fora do país, Joesley Batista ganhou o perdão da Justiça. Não será preso, nem usará tornozeleira.

Siufi mostrou matérias veiculadas na imprensa que revelam o estilo de vida dos empresários nos Estados Unidos. “Onde estão os órgãos fiscalizadores? Cadê a Polícia Federal que não foi atrás e deixou eles irem embora? O que não pode é sair do Brasil como se nada tivesse acontecido. Cadê a nossa justiça? Eles não podem ficar soltos”, comentou.

 

Comentários