Simone culpa partidos políticos pela ausência de mulheres nos ministérios de Temer

A senadora de Mato Grosso do Sul, Simone Tebet (PMDB), em entrevista ao programa Tribuna Livre e ao Página Brazil na manhã desta segunda-feira (16), reforçou que acha importante ter mulheres nos ministérios do governo do presidente interino Michel Temer, também do PMDB. Ele assumiu a presidência da República na última quinta-feira (12) e não nomeou nenhuma mulher nos seus ministérios.

Segundo a senadora, no dia da posse de Temer, ela chegou a conversar com três ministros, entre eles o da Justiça, Alexandre de Moraes. “Ele ficou com a secretaria que eu acho que pode voltar a virar ministério, que era o da Igualdade Racial, da Mulher, da Juventude e dos Direitos Humanos. Já que não tem nenhuma mulher, que essa secretaria volte a ser ministério para que possamos ter pelo menos uma representante no governo”, explicou.

Senadora culpou partidos políticos pela ausência de mulheres nos ministérios. Foto: Kerolyn Araújo
Senadora culpou partidos políticos pela ausência de mulheres nos ministérios. Foto: Kerolyn Araújo

Para Simone, os próprios partidos políticos são responsáveis por não ter nenhuma mulher nos ministérios do atual governo. “Eles deveriam indicar e falharam nessa questão. Nós somos 52% do eleitorado, portanto a maioria da população brasileira, temos muito a contribuir e mostrado a nossa capacidade. Vamos continuar insistindo para que tenhamos mais mulheres na política”, ressaltou a senadora.

Governo Temer

No mesmo dia em que tomou posse, o presidente interino Michel Temer nomeou os novos ministros. No total, são 22 ministérios. Confira a lista:

– Gilberto Kassab, ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações
– Raul Jungmann, ministro da Defesa
– Romero Jucá, Planejamento, Desenvolvimento e Gestão
– Geddel Vieira Lima, ministro-chefe da Secretaria de Governo
– Sérgio Etchegoyen, ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional
– Bruno Araújo, ministro das Cidades
– Blairo Maggi, ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
– Henrique Meirelles, ministro da Fazenda
– Mendonça Filho, ministro da Educação e Cultura
– Eliseu Padilha, ministro-chefe da Casa Civil
– Osmar Terra, ministro do Desenvolvimento Social e Agrário
– Leonardo Picciani, ministro do Esporte
– Ricardo Barros, ministro da Saúde
– José Sarney Filho, ministro do Meio Ambiente
– Henrique Alves, ministro do Turismo
– José Serra, ministro das Relações Exteriores
– Ronaldo Nogueira de Oliveira, ministro do Trabalho
– Alexandre de Moraes, ministro da Justiça e Cidadania
– Mauricio Quintella, ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil
– Marcos Pereira, ministério da Indústria e Comércio
– Fabiano Augusto Martins Silveira, ministro da Fiscalização, Transparência e Controle (ex-CGU)
– Fábio Osório Medina, AGU

 

Comentários

comentários