Sexo oral ajuda a espalhar superbactéria da gonorreia, alerta OMS

ESTADÃO

A queda no uso de preservativos, incluindo na prática de sexo oral, está ajudando a disseminar uma superbactéria da gonorreia e a torná-la cada vez mais difícil de tratar. Em algumas situações, a cura foi considerada “impossível” em pacientes na Europa e no Japão.

O alerta está sendo lançado nesta sexta-feira, 7, pela Organização Mundial da Saúde (OMS), depois de constatar que a infecção sexualmente transmissível – responsável pela infertilidade – está rapidamente desenvolvendo uma forte resistência aos antibióticos.

Se não bastasse, a indústria farmacêutica investiu pouco nos últimos anos no combate a essa doença e, portanto, os novos remédios que chegam ao mercado são escassos. Para um dos produtos tradicionalmente usados, o ciproflaxacin, a resistência foi registrada em 97% dos países avaliados pela OMS. Hoje, apenas um remédio é considerado como eficiente, o ESC.

Comentários