Sete execuções durante feriadão na fronteira de MS com o Paraguai

Foram executadas duas brasileiras, sendo que uma estava grávida, quatro brasileiros e um paraguaio

O feriadão foi sangrento na fronteira entre Brasil e Paraguai nos últimos cinco dias. Foram registradas sete execuções, que começaram no dia 11 e 12, feriados em comemoração à Divisão do Estado de Mato Grosso do Sul e Padroeira do Brasil Nossa Senhora Aparecida, respectivamente, e que se estendeu no final de semana. Foram executadas duas brasileiras, sendo que uma estava grávida, quatro brasileiros e um paraguaio.

Proprietária de empresa de contabilidade e executada a tiros por pistoleiros na cidade paraguaia de Pedro Juan Caballero na fronteira com Ponta Porã. (Foto: Porã News)

A primeira vítima de execução foi registrada na quinta-feira, às 7h, feriado de Divisão de Mato Grosso do Sul. O corpo de uma brasileira identificada como Andrea Ramirez Vasconcelos (25 anos) foi encontrado linha Internacional, que divide a cidade paraguaia de Capitan Bado e Coronel Sapucaia, com vários tiros de pistola 9mm. Populares avisaram a Divisão de Homicídios e a Polícia Técnica sobre o corpo. Os investigadores presumem que a mulher poderia ter sido levada até o local de motocicleta e executada.

Já na manhã de sexta-feira (12), a polícia identificou mais três corpos de brasileiros, identificados como Julio Cesar Ovelar (35), conhecido como “Jhonny Cabelo”, Carlos Augusto Lopes Suares (29) e Martin Estêvão da Silva Santos (23). Segundo o site Porã News, os três foram executados a tiros por pistoleiros na madrugada de quinta-feira (11) por volta das 05h30, quando chegavam numa camionete GM S10 na chácara localizada na região da colônia denominada “Cristino Potrero”, cerca de dez quilômetros da fronteira, em Capitan Bado.

O terceiro caso na região de fronteira foi em Ponta Porã, na sexta-feira. A vítima foi identificada como, Davi Elias Lopes (30), que foi executado com vários tiros de pistola de calibre 9mm, durante a madrugada no portão da sua residência, localizada na rua Corumbá, no bairro Jardim Aeroporto. Segundo o SIG (Setor de Investigações Gerais) da Polícia Civil, a vítima teria sido atacada por pistoleiros que o executaram e posteriormente fugiram tomando rumo ignorado. Os moradores alertaram a policia, mas não identificaram os autores.

Feira livre

Um dos casos que chamou mais atenção foi a execução da brasileira Elisandra Aranda Maldonado (38 anos) na manhã de sábado, por volta das 9h, na cidade de Pedro Juan Caballero, fronteira com Ponta Porã. Segundo a polícia, a gestante era proprietária de um escritório de contabilidade. Ela foi executada com nove disparos de pistola do calibre 9mm quando saia da feira livre, localizada na Avenida Tenente Herrero, esquina com a rua Perpetuo Socorro, no centro da cidade.

Ela estava num veiculo Ssa Yong Corando, cor preta, placas IBT 086 Paraguai. Após realizar compras e entrar no carro, ela foi abordada, supostamente por um casal, que estava em uma motocicleta, que disparou e fugiu. Elisandra morreu na hora, sem tempo de ser socorrida.

No sábado à noite, por volta das 22h15, três pistoleiros invadem uma casa no bairro Primavera da cidade paraguaia de Capitan Bado, na fronteira com Coronel Sapucaia, e executaram Marcial Robles (25). O fato aconteceu na frente da esposa da vítima. O homem que recebeu vários tiros de uma pistola 9mm e morreu na hora. Os executores fugiram tomando rumo ignorado.

Comentários