Senadores Renan e Cristovan trocam graves acusações e iniciam bate-boca; veja o vídeo

No final da tarde dessa terça-feira (12), uma pequena troca de farpas acabou terminando em acusações graves entre o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e o senador Cristovam Buarque (PPS-DF). A discussão foi iniciada quando os senadores resolveram debater sobre o adiamento da votação do projeto de lei que visa definir condutas e punições sobre casos de abuso de autoridade. Toda a discussão se iniciou quando Renan Calheiros resolveu dar seu posicionamento sobre o tema. Ele iniciou sua fala em tom amistoso e manso, dizendo que o reagendamento da pauta para o mês de agosto seria uma ótima oportunidade para colocar em discussão o polêmico tema com a sociedade.

 

Em seu discurso, Renan citou Cristovam Buarque, dizendo que outro dia havia visto uma declaração do senador dizendo que ele (Renan) só colocaria o tema citado acima em discussão após um pedido do STF. E que o colocaria somente por motivações pessoais.

Cristovam Buarque pediu a palavra e fez um discurso inflamado, no qual afirmou que o ato de trazer a discussão sobre o tema nesse momento dá uma sensação estranha de que os senadores querem se proteger, porque todos os dias morrem milhares de crianças assassinadas, negros e pobres são algemados e os senadores não falam nada, sendo que todos esses atos são devido a atitudes de abuso de autoridade.

A partir daí, Renan começou a atacar Cristovam, dizendo que no ano de 2006, quando Cristovam Buarque foi candidato à presidência, os senadores foram procurados pelo tesoureiro do PDT (Partido de Buarque) para que fossem investigadas esquemas de doações ilegais e de receptações não contabilizadas envolvendo Cristovam Buarque.

Cristovam Buarque no mesmo momento perguntou a Renan: “Então se o senhor não me investigou, o senhor pecou”.

Renan Calheiros logo respondeu dizendo que as denúncias ainda não prescreveram. E Buarque logo em seguida falou: Se o senhor não me investigou, então prevaricou! Sim, o senhor prevaricou! Eu acho é que o senhor devia mandar é para o Conselho de Ética.

Renan ficou sem saída e baixou o tom, dizendo que a confissão do tesoureiro do PDT foi a primeira delação e que não levou em consideração porque acha que as delações devem ser regulamentadas.

Comentários

comentários