Senador paraguaio diz que Pedro Juan é uma ” Sociedade-Narcotráfica ” e que Brasil é cúmplice

O senador liberal paraguaio Roberto Acevedo fez um duro discurso sobre a situação da cidade de Pedro Juan Caballero. Segundo o senador, ele disse que os promotores e policiais são cúmplices dos traficantes do Brasil.

senador

As menções na mídia sobre a inimizade entre o novo presidente do Congresso Nacional, Roberto Acevedo e o traficante de drogas Jorge Rafaat, foi um assunto que voltou à tona desde que se tornou o assasinato deste último virou notícia. Acevedo falou hoje (16), com a rádio paraguaia 780 AM onde declarou:

“Eu seria um louco se mandasse matar alguém justamente no dia em que me elegi Presidente do Congresso,
como mencionado por alguns meios de comunicação “, acrescentando que era tudo uma coincidência.

Ele ainda disse que Rafaat tinha muitos inimigos porque ele matou muitas pessoas ligadas ao tráfico de drogas.

“Rafaat matava, mas dentro do seu mundo”, disse ele.

Acevedo, ex-governador de Amambay, disse que criminosos brasileiros vem para Pedro Juan Caballero à procura de drogas, e que em cumplicidade com a polícia, promotores e juízes locais obtêm documentos paraguaios para dominar a área .

“Os brasileiros são mais bem documentados do que os paraguaios”, disse.

Em 2010 Roberto Acevedo culpou o ataque do chefão do narcotráfico contra ele, e desde então tornaram-se inimigos declarados.

“A princípio culpei Rafaat pelo meu atentado pelas informações que eu obtive e pelo modus operandi apresentado, e depois ele disse que algo iria acontecer comigo, porque ele era a pessoa mais denunciada por mim, porque ele andava pela cidade livremente e nada o detinha, nem mesmo o Senado, ele disse isso na época”, declarou.

Em 2010, o político foi atingido por pelo menos dois dos 40 disparos contra o seu carro, na noite de segunda-feira, na cidade de Pedro Juan Caballero, localizada na fronteira com o Brasil.(imagem:o globo)

” Rafaat estava morando em Pedro Juan Caballero com um exército à sua volta, por ser em uma pequena cidade ninguém se importou”.

O senador liberal disse que em Pedro Juan vive essa situação difícil e incontrolável porque existe uma grande parte da população que hoje depende do tráfico de drogas, lamentavelmente.

” Vivemos uma sociedade do narcotráfico, cujo controle foi perdido. ”

Ao final da entrevista, o senador negou que está ligado ao tráfico de drogas e disse o que ele e o ministro Luis Rojas não estão envolvidos e até
mesmo o ministro do Interior Francisco de Vargas está do seu lado.

Comentários

comentários