Semifinais da Copa do Brasil começam nesta quarta-feira

A espera acabou e chegou a hora da bola rolar pelas semifinais da Copa do Brasil. Em campo, alguns dos maiores campeões da história da competição lutam pela classificação para a grande final nesta quarta-feira (12/9).

No Allianz Parque, em São Paulo, o Palmeiras recebe o Cruzeiro, em um duelo repleto de tradição. No Maracanã, no Rio de Janeiro, o Flamengo terá casa cheia no clássico nacional contra o Corinthians. Os dois jogos começam às 20h45 (de MS).

Somados, os quatro times colecionam 14 títulos da Copa do Brasil.

O Cruzeiro, que joga fora de casa neste primeiro duelo, é o maior campeão da competição, com cinco conquistas, ao lado do Grêmio. Querendo estreitar essa distância histórica, Corinthians, Flamengo e Palmeiras correm em busca do quarto título. Saiba um pouco mais sobre a história de cada um dos semifinalistas da Copa do Brasil.

Corinthians tem o maior jejum entre os semifinalistas

Tricampeão da Copa do Brasil, o Corinthians guarda conquistas importantes na competição, mas já acumula nove anos sem erguer a taça. É, entre os semifinalistas, o que está há mais tempo sem ser campeão. Vencer o Rubro Negro pode recolocar o Timão na final da Copa do Brasil, onde o clube não chega desde 2009, ano em que conquistou o torneio pela última vez. Antes disso, ainda ganhou em 1995 e em 2002. O Corinthians jogou 143 partidas, venceu 76, empatou 34 e perdeu 33. O alvinegro leva na bagagem a honra de ter sido o primeiro clube paulista a ganhar a Copa do Brasil. Nesta edição, o Corinthians se classificou para a semifinal após derrotar a Chapecoense por 1 a 0, na Arena Condá e terá pela frente o Flamengo, que é o clube com maior número de vitórias da história da Copa do Brasil.

Cruzeiro é o maior campeão

O atual campeão da Copa do Brasil coleciona triunfos memoráveis em sua trajetória copista e foi o primeiro entre os semifinalistas deste ano a conquistar vaga na semifinal. O pentacampeão pode conquistar feito inédito se eliminar o Verdão na semifinal. Os donos da taça de 2017 também levaram a melhor em 1993 contra o Grêmio, outro clube cinco vezes campeão. Três anos depois, superou o próprio Palmeiras e saiu vitorioso pela segunda vez. A Raposa faturou a taça novamente em 2000 contra o São Paulo e em 2003, contra o Flamengo. Neste duelo, Deivid marcou o gol mais rápido em finais da Copa do Brasil pela Raposa contra o Rubro-Negro, jogo que novamente pintou o Mineirão de azul e branco. O Cruzeiro entrou em campo pela competição em 152 confrontos, dos quais venceu 78, empatou 41 e sofreu 33 derrotas.

Flamengo quer ser o maior finalista da história

Clube que acumula o maior número de vitórias n história da Copa do Brasil, o Flamengo segue vivo na busca do tetracampeonato. No ano passado, o Rubro-negro bateu na trave, perdendo para o Cruzeiro na final, o quarto vice-campeonato do Mengo (1997 para o Grêmio, 2003 para o Cruzeiro e 2004 para o Santo André). Caso garanta uma vaga na decisão, igualará o Grêmio em número de finais: oito. O Rubro-Negro foi o primeiro dos semifinalistas a faturar uma taça, em 1990, e também levou a melhor em 2006 e 2013. O Fla disputou pela competição, 175 partidas, com 102 vitórias, 45 empates e 28 derrotas. É, entre os semifinalistas, o que tem o maior jejum de um título nacional, que não vem desde a Copa do Brasil de 2013.

Palmeiras, Copa do Brasil e Felipão: tudo a ver

No banco de reservas, o Palmeiras tem um técnico que sabe muito bem o que é ganhar a Copa do Brasil. Luiz Felipe Scolari é o treinador que mais venceu o torneio, com quatro títulos. Dois deles foram com o próprio Verdão, que é tricampeão. O clube levantou a taça em 1998, 2012 e 2015, as duas primeiras com Felipão. . O Verdão teve 84 vitórias, 36 empates e 28 derrotas nos 148 jogos pelo disputados pelo torneio.

E se conseguir ir à final, o Palmeiras tem tudo para despertar o otimismo de seu torcedor. Entre os multicampeões, é o que tem melhor aproveitamento em finais. Perdeu apenas uma em quatro oportunidades. Na última delas, em 2015, tornou-se o primeiro time a vencer a Copa do Brasil na disputa por pênaltis (dois anos depois, o Cruzeiro se juntaria ao Palmeiras).

Comentários