Sem Neymar, Brasil não brilha, mas se garante nas quartas da Copa América

Suspenso da competição, camisa 10 vê das arquibancadas do Monumental os companheiros baterem a Venezuela por 2 a 1 e se garantirem no duelo com o Paraguai

Sem Neymar, a Seleção Brasileira não brilhou. Mas também não decepcionou. Com Robinho no comando do ataque, o Brasil dominou o jogo neste domingo no Estádio Monumental, tomou um susto no fim, mas venceu sem maiores dificuldades a Venezuela por 2 a 1. Uma vitória que afastou o fantasma da eliminação precoce e garantiu a equipe no duelo com o Paraguai nas quartas de final da Copa América.

Das arquibancadas, o camisa 10, suspenso por quatro jogos na competição, viu os companheiros tocarem bastante a bola no primeiro tempo e, vez ou outra, irritarem os torcedores dos dois lados. Mas a posse de bola no meio de campo não foi aproveitada da melhor forma possível. Faltou criatividade para Willian e, principalmente, Philippe Coutinho..

Como esperado, Robinho voltou diversas vezes para ajudar na armação. Chamou o jogo e distribuiu bem os passes nas pontas.

Jogadores comemoram o gol de Thiago Silva (Foto:Cleber Mendes/LANCE!Press)
Jogadores comemoram o gol de Thiago Silva (Foto:Cleber Mendes/LANCE!Press)

Mas se não vai pelo chão, vai pelo alto. Depois de cobrança certeira de escanteio de Robinho, Thiago Silva subiu com personalidade e, de cabeça, abriu o placar em Santiago: 1 a 0.

Na volta do intervalo, o Brasil, enfim, vez valer a superioridade técnica. Ao melhor estilo Neymar, Willian fez uma belíssima jogada individual na ponta esquerda e cruzou na área. Apagado até então, Firmino teve apenas o trabalho de empurrar a bola para o fundo da rede: 2 a 0.

Com o triunfo parcial, coube ao time de Dunga controlar ainda mais o jogo e até mesmo arriscar alterações táticas. Primeiro, o treinador sacou Firmino e testou David Luiz como volante, liberando Elias para chegar mais ao ataque. Depois, ele tirou Robinho e colocou Marquinhos na lateral direita. Daniel Alves, então, terminou a partida como uma espécie de meia.

Quando parecia tudo bem para o Brasil, a Venezuela achou um gol. Após Jefferson defender cobrança de falta, Miku aproveitou o rebote e diminuiu: 2 a 1. Mas a reação parou aí.

Dunga, que certamente esperava por uma atuação melhor, terá agora cinco dias para trabalhar a equipe. O time só volta a campo no sábado.

FICHA TÉCNICA BRASIL 2 X 1 VENEZUELA

Local: Estádio Monumental, em Santiago (CHI)
Data/Hora: 21 de junho de 2015, às 18h30 (de Brasília)
Juiz: Enrique Cáceres (PAR)
Auxiliares: Rodney Aquino (PAR) e Carlos Cáceres (PAR)
Público: 33.284 presentes
Cartões amarelos: Ronald Vargas, Luis Seijas e Túñez (VEN); Thiago Silva (BRA)
GOLS: Thiago Silva, 8’/1ºT (1-0); Firmino, 6’/2ºT (2-0) e Miku, 38’/2ºT (2-1).

BRASIL: Jefferson; Daniel Alves, Thiago Silva, Miranda e Filipe Luís; Fernandinho, Elias, Philippe Coutinho (David Luiz, 21’/2ºT) e Willian; Robinho (Marquinhos, 30’/2ºT) e Roberto Firmino (Diego Tardelli, 21’/2ºT). Técnico: Dunga.

VENEZUELA: Baroja; Rosales, Vizcarrondo, Túñez e Cichero; Rincón, Luis Seijas (César González, intervalo), Alejandro Guerra (Miku, 26’/2ºT), Ronald Vargas (Martínez, intervalo) e Arango; Rondón. Técnico: Noel Sanvincente

LANCEPRESS!

Comentários

comentários